Exposição Acessível traz fotos para pessoas com deficiência visual

Compartilhe:

Começa nessa sexta-feira, dia 18 de setembro, a exposição “Lentes da memória: a descoberta da fotografia de Alberto de Sampaio (1888-1930)”. A mostra traz obras de um acervo que ficou guardado por quase um século.

Em cartaz até 01 de novembro, no Instituto Tomie Ohtake, a mostra foi organizada pela curadora Adriana Maria Martins Pereira, e está acessível às pessoas com deficiência visual. Os visitantes cegos ou com baixa visão podem contar com audiodescrição ao vivo, feita por profissionais da empresa Cinema Falado Produções; e também com ferramentas tecnológicas como Pentop e o recém-lançado AudiFoto (desenvolvedor Ian Carvalho/Comercialização Fundação Dorina), um aplicativo gratuito que em contato com sensores ativa a descrição no tablet ou smarphone do usuário, ambos da Fundação Dorina.

Quem quiser conferir, entre no site www.albertodesampaio.com.br e tenha mais informações. Ele também tem a descrição das imagens! Lá no Tomie Ohtake, a entrada é gratuita.

3 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *