Campanha quer garantir inclusão de crianças com deficiência nas escolas

Compartilhe:

Um projeto do Unicef, realizado em parceria com o Governo do Estado e a prefeitura de Belém, quer garantir a inclusão de crianças com deficiência na vida escolar. Depois de algumas atividades executadas e o atendimento de alguns alunos, os resultados já podem ser observados.

O estudante Leon Gustavo nasceu cego e foi desenvolvendo habilidades no decorrer dos anos. Hoje, ele é atleta de goalball, uma modalidade esportiva criada para deficientes visuais. A prática do esporte transformou a dificuldade dele em sonho, o de ser um para-atleta. "Eu quero me dedicar e sempre melhorar", diz.

Para que essas pessoas com algum tipo de deficiência possam fazer as atividades normalmente, a escola tem papel fundamental. Por isso, surgiu o projeto Rios de Inclusão. A Escola Estadual General Gurjão, no bairro da Cidade Velha, recebeu atividades do programa.

Garantir que crianças e adolescentes estejam matriculados e frequentando as escolas é o objetivo da iniciativa. Na instituição citada, 60 alunos são atendidos e toda a infraestrutura é de acordo com a lei da acessibilidade.

"Nós queremos identificar e, evidentemente, criar condições para que essas crianças sejam atendidas por este conjunto de políticas e permaneçam na sala de aula", pontuou Fábio Moraes, coordenador da Unicef-Belém.

Miriam é um dos bons resultados. Com deficiência intelectual, depois de receber acompanhamento de professores e toda uma equipe dentro da escola, despertou a vontade de ler escrever.
O projeto será executado em outras sete unidades de ensino da Grande Belém.

Fonte: G1

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *