Multa por estacionamento em vaga para pessoa com deficiência ou idoso vai aumentar

Compartilhe:

A multa para quem estacionar em vaga exclusiva para idosos ou pessoas com deficiência sem ter o credenciamento vai ficar 140% mais cara a partir de janeiro, conforme determinação do Conselho Nacional de Trânsito.

A infração, que hoje é considerada leve, com 3 pontos na carteira e multa de R$ 53,20, vai passar a ser grave, com 5 pontos e multa de R$ 127,29.

Em Fortaleza (CE), a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), que hoje só fiscaliza ocupação irregular de vagas para pessoas com deficiência e idosos em vias públicas, vai passar também em locais privados de uso coletivo, como estacionamentos de shoppings e supermercados. Infrações cometidas nesses locais vão passar a ser cobradas a partir de fevereiro.

Credenciamento

O credenciamento de idosos e pessoas com deficiência para a utilização das vagas especiais de estacionamento nas vias públicas da cidade é realizado de segunda a sexta-feira, entre 8 e 17 horas, na sede da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), localizada na Avenida Aguanambi, 90, Bairro José Bonifácio.

Outros dois locais são a Central de Atendimento da AMC, na Rua Monteiro Lobato, 53, Bairro de Fátima, ou no Vapt Vupt, ao Terminal da Messejana, na Avenida Jornalista Tomaz Coelho, 408.

A credencial é emitida na hora e pode ser utilizada imediatamente.

Os interessados devem ter mais de 60 anos, no caso de idosos, e comprovar a deficiência através de laudo médico, no caso de pessoas com deficiência. A credencial é pessoal e intransferível, ou seja, pode ser utilizado pelo credenciado em qualquer veículo que esteja trafegando.

Para se credenciar, é preciso portar os seguintes documentos: fotocópia do laudo ou atestado médico; fotocópia do RG; fotocópia do CPF; fotocópia do comprovante de residência: água, luz ou telefone e no caso de menores de idade, acrescentar fotocópias dos documentos do responsáveis. O idoso precisa dos mesmos documentos, com exceção do laudo médico.

Fonte: G1 – Ceará

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *