Procon disponibiliza download de livro sobre inclusão social para pessoas com deficiência visual

Compartilhe:

Com o objetivo de aumentar a acessibilidade nos meios de comunicação, a Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon/AL), em apoio à Secretaria da Mulher e dos Direitos Humanos, disponibilizou em seu site o download da primeira coletânea de textos jurídicos sobre inclusão social e direitos da pessoa com deficiência em Alagoas para deficientes visuais.

A superintendente Flávia Cavalcante destaca a importância da informação à pessoa com deficiência: “Estamos focados em aumentar a acessibilidade nos meios de comunicação ao consumidor, e este livro em audiodescrição é um exemplo disso. Depois da implantação do hand talk para deficientes auditivos em nosso site, buscamos aumentar o acesso à informação também para deficientes visuais”.

E complementa: “Atenta a essas necessidades, nossa equipe está empenhada em buscar o aumento da acessibilidade. Nossa missão como instituição é realizar o direito humano ao consumo, inclusive àquelas que têm deficiência”.

Breve apresentação do livro

Rita Mendonça, Elder Soares e Francisco Lima, com a iniciativa de Sérgio Coutinho e o apoio técnico de Bob Omena, revolucionam ao criar a obra reflexiva, do ponto de vista jurídico, sobre a Convenção dos Direitos das Pessoas com Deficiência.

Os organizadores da obra trouxeram artigos em diversos campos de investigação para entender como se efetiva a convenção no cotidiano das políticas públicas brasileiras.

Foram selecionados diversos colaboradores, de diferentes ofícios e formações, como pesquisadores e outros gestores de políticas públicas, advogados, cientistas sociais, sem a homogeneidade tão comum das coletâneas. Assim, foi garantida a melhor interpretada da convenção, através de diferentes pontos de vista.

Para acessar a coletânea e fazer o download em PDF, acesse: http://bit.ly/1LbtAOb

Fonte: Agência Alagoas

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *