Dudu Braga é o novo secretário adjunto da Pessoa com Deficiência da capital paulista

Filho do cantor Roberto Carlos, Dudu perdeu completamente a visão aos 22 anos e já atuou em instituições que realizam a inclusão da pessoa com deficiência

Dudu Braga é recebido pela secretária Marianne Pinotti
Compartilhe:

Dudu Braga foi anunciado na última sexta-feira, 8, como secretário adjunto da Pessoa com Deficiência da Prefeitura de São Paulo. Filho do cantor Roberto Carlos, Braga foi convidado pela titular da pasta, Marianne Pinotti, e ratificado pelo prefeito Fernando Haddad.

Dudu, é na verdade, Roberto Carlos Segundo e perdeu totalmente a visão aos 22 anos por causa de um glaucoma. Publicitário de formação, foi também fundador da ONG Meninos do Morumbi, além, de colaborador com as Fundações Laramara e Dorina Nowill, ambas para inclusão de cegos. Ele é produtor musical e já atuou como ator e apresentador em programas de Rádio e TV.

A convite das Secretarias Municipais da Pessoa com Deficiência, em 2014 o produtor musical percorreu as unidades dos Centros Educacionais Unificados – CEUs com o ciclo de palestras “É preciso saber viver”, em que abordou temas como preconceito, cidadania, inserção da pessoa com deficiência no mercado de trabalho e superação de obstáculos.

“Primeiramente, encaro essa oportunidade como uma superação pessoal. Até pouco tempo atrás não me imaginava trabalhando com políticas públicas, mas cheguei a conclusão de que deveria contribuir mais efetivamente com a inclusão de pessoas com deficiência. Já conhecia o trabalho da Secretaria conduzido pela Marianne Pinotti e sei da seriedade com que ele é executado. Por isso, me sinto honrado pelo convite e vou me empenhar para contribuir com todos os projetos inclusivos da Prefeitura de São Paulo, buscando dar ainda mais visibilidade para as ações e sensibilizar a sociedade para a questão da inclusão e do fim do preconceito”, comentou.

Para Marianne Pinotti, a chegada de Dudu confirma o compromisso da Secretaria em dar vez e voz às pessoas com deficiência. “É fundamental termos este contato próximo na gestão com cidadãos que vivenciam no dia a dia as barreiras que ainda existem para a plena inclusão de todos. E o Dudu tem muito a contribuir com todas as iniciativas que a Secretaria já executa e também com a proposição de novas ações para aprimorarmos ainda mais o nosso trabalho”, disse.

Fonte: Assessoria

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *