Virada Cultural 2016 terá atrações em Libras e audiodescrição

Com 24 horas ininterruptas de programação, o evento promove cultura e acessibilidade em shows e atrações para todos os públicos

O rapper Criolo de perfil olhando para o lado esquerdo
Compartilhe:

A Virada Cultura já é conhecida por suas 24 horas ininterruptas de atrações e, em 2016,  conta com atrações acessíveis voltadas às pessoas com deficiências auditiva e visual, independentemente do gosto musical. Onze shows desta edição contarão com tradução simultânea para a Língua Brasileira de Sinais – Libras, com destaque para as apresentações de Ney Matogrosso, Criolo, Elba Ramalho, Nação Zumbi, Arlindo Cruz, Mc Bin Laden, e do grupo Palavra Cantada, na programação infantil.

As músicas serão traduzidas por profissionais da Central de Interpretação de Libras – CIL, serviço coordenado pela Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida e que, desde 2015, realiza a mediação da comunicação entre surdos e o atendimento em serviços públicos na cidade de São Paulo. É a primeira vez que a CIL participa da Virada Cultural, tendo já atuado no Carnaval deste ano para levar acessibilidade a pessoas com deficiência auditiva no Sambódromo.

Já o “Meu Amigo Charlie Brown – Um Musical da Broadway”, estrelado pelo ator Tiago Abravanel, se apresenta no domingo, dia 22, no Vale do Anhangabaú, com audiodescrição, recurso que possibilita a cegos “enxergarem” todos os elementos que compõem o espetáculo. Com apoio de um profissional audiodescritor, as pessoas com deficiência visual recebem um fone de ouvido e acompanham a descrição em detalhes das características do palco, dos figurinos, posição dos atores, expressão facial, entre outros detalhes.

“Desde 2013, na primeira Virada Cultural organizada pela atual gestão, fizemos questão de levar, com o apoio da Secretaria Municipal de Cultura, recursos de acessibilidade para suprimir barreiras que impedem a plena participação de pessoas com deficiências sensoriais na maior festa de rua da nossa cidade. E neste ano, a grande novidade é a presença dos profissionais da CIL, que já fizeram um trabalho de excelência no Carnaval 2016 e vêm garantindo, principalmente, que surdos tenham acesso a serviços fundamentais em nossa cidade, como os de saúde, de assistência social e jurídica”, comenta a secretária municipal da Pessoa com Deficiência Mobilidade Reduzida, Marianne Pinotti.

As atrações com tradução para Libras se dividem entre o sábado e domingo, em cinco grandes palcos, incluindo diferentes gêneros musicais.

Para informações gerais sobre a Virada Cultural 2016, acesse o site do evento.

Fonte: Assessoria

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *