Cia de Teatro promove curso para pessoas com e sem deficiência no RJ

As aulas gratuitas têm início em junho e contam com audiodescrições, Libras, elevadores adaptados e piso tátil para inclusão de alunos com deficiência

Ícone de duas máscaras, representando o teatro, em fundo verde
Compartilhe:

A PAR Cia de Teatro promove aulas de artes cênicas voltadas a pessoas com e sem deficiência a partir de 6 de junho, no Rio de Janeiro. Com 40 vagas dispiníveis, as aulas serão realizadas no Centro Municipal de Cultura e Cidadania Calouste Gulbenkian e vão até setembro deste ano. Os interessados podem se inscrever até 5, um dia antes do início do curso, pelo e-mail parciadeteatro@gmail.com.

O projeto foi um dos selecionados pelo programa Fomento Cidade Olímpica, na linha Arte sem Limites. Promovido pela Secretaria Municipal de Cultura e, com patrocínio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro​, a iniciativa dá apoio a atividades, espetáculos, processos de formação e companhias que envolvam acessibilidade e inclusão nas artes, em diversas linguagens.

Além de descobrir talentos, a PAR Cia de Teatro quer, com este projeto, abrir espaço para que pessoas com e sem deficiência possam exercitar sua aptidão artística. O programa é voltado para alunos iniciantes, a partir de 12 anos de idade, e inclui aulas de história do teatro e ​seus gêneros teatrais, interpretação, ​voz, corpo, iluminação, figurino e cenário, sempre ​prevendo a inclusão dos alunos que tenham algum tipo de deficiência.

Serão disponibilizados recursos como audiodescrição e Intérprete de Libras, piso tátil para orientar o aluno no espaço cênico, além de uma consultoria em acessibilidade visando atender todas as necessidades dos alunos com deficiência. Importante destacar que o local onde será realizado o curso possui elevador e banheiros adaptados, sendo, portanto, acessível a pessoas com mobilidade reduzida e cadeirantes.

O curso coloca em prática uma metodologia já testada quando a PAR Cia de Teatro encenou, em 2015, o espetáculo Nhac! Uma Lição de Queijo, de Ed Anderson. Nesta montagem, estavam em cena os 10 atores/atrizes da Cia, entre eles Moira Braga e Felipe Rodrigues, que têm deficiência visual.

Projeto Incubadora Cênica
Quanto: Gratuito
Quando: de 6/6 a 13/9, segundas e quartas-feiras, das 14h às 18h
Onde: Centro Municipal de Cultura e Cidadania Calouste Gulbenkian
Endereço: Rua Benedito Hipólito, nº 125, Praça Onze , Centro, Rio de Janeiro – RJ (ao lado do Terreirão do Samba)
Obs.: 40 vagas disponíveis; os interessados devem se inscrever pelo e-mail parciadeteatro@gmail.com

Fonte: Assessoria

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *