Menino com autismo combate seus medos lendo pra animais de abrigo

A experiência de voluntariado do menino o ajuda a ter um senso de propósito e melhorou muito suas capacidades linguísticas

À esquerda da foto, Jacob lê para um cachorro que está dentro de uma gaiola.
Compartilhe:

Crianças com autismo costumam ter dificuldades de socialização e não se adaptam facilmente a ambientes com muito barulho ou estímulos visuais. Porém, o convívio com animais pode ser bastante benéfico para os pequenos que convivem com o transtorno – é o que diz um estudo da Universidade de Missouri citado em matéria da Veja. Mais do que apenas pesquisas, a experiência também mostra que essa fórmula dá certo, como no caso do menino autista Jacob Tumalan, de seis anos.

Toda a quinta-feira, Jacob visita o abrigo de animais Carson, em Gardena, nos Estados Unidos, com um propósito sério: o pequeno aproveita o tempo depois da escola para ler para os animais que vivem no abrigo. O ritual é repetido há seis meses e começou com um empurrãozinho da tia de Jacob, Lisa Dekowski-Ferranti, que trabalha com o resgate de animais.

A experiência de voluntariado do menino o ajuda a ter um senso de propósito e melhorou muito suas capacidades linguísticas. Os animais também se beneficiam da iniciativa, que os ajuda a se socializar enquanto se preparam para encontrar um novo lar. A ação faz parte do projeto Rescue Readers, em que crianças são voluntárias para ler para os animais do abrigo.

Um vídeo sobre o caso está disponível na matéria original, no Hypeness.

Fonte: Hypeness

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *