Grupo IMPRENSA promove fórum sobre cobertura jornalística dos Jogos Paralímpicos

Você conhece os Jogos Paralímpicos? Então saiba que o Brasil tem potências mundiais na competição, favorito a medalhas em diversas modalidades

Dois atletas cadeirantes disputam bocha paralímpica, em um ginásio
Compartilhe:

A Paralimpíada nem sempre tem o destaque proporcional em muitos veículos de comunicação, além da falta de preparo para cobrir suas diversas modalidades e suas características. Como neste ano, além da Olimpíada, o Brasil recebe também a Paralimpíada – competição que reúne atletas de alta performance com algum tipo de deficiência – as redações deverão conhecer a fundo as regras, especificidades, impactos e fatores humanos nos jogos.

IMPRENSA Editorial, em parceria com o curso de Jornalismo da ESPM de São Paulo, vai promover o Fórum Online Cobertura Paralímpica, que será transmitido ao vivo pelo Portal IMPRENSA no dia 24 de junho, a partir das 15h.

O objetivo é capacitar jornalistas da editoria esportiva para cobrir os Jogos Paralímpicos e compreender os principais desafios em cada etapa. IMPRENSA escala jornalistas, especialistas e personalidades para debater, entre outras questões: Qual o contexto do paradesporto internacional? Quais são as principais dúvidas dos jornalistas? Como é a preparação das equipes para cobrir as paralimpíadas?

Para acompanhar os debates ao vivo e a programação completa, basta acessar e se cadastrar pelo site do Portal Imprensa.

Dentre os convidados confirmados, estão: Andrew Parsons, presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB); Flávia Cintra, repórter da TV Globo; Jairo Marques, repórter e colunista da Folha de S.Paulo; Lilian Migliorini Villamar, repórter da NHK japonesa; e Renato Peters, repórter da TV Globo.

Fórum Online Cobertura Paralímpica – conteúdo e treinamento
Quando: 24/6, a partir 15h
Transmissão ao vivo pelo Portal IMPRENSA
Inscrição gratuita e informações pelo site
Tel.: (11) 3729-6300

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *