Prêmio que reconhece boas práticas para trabalhadores com deficiência recebe inscrições

As inscrições vão até 30 de setembro; a premiação acontece em dezembro, durante cerimônia na sede da ONU, em Nova York (EUA)

Auditório com lustre luxuoso; há muitas pessoas reunidas e uma senhora discursa em um púpito
Compartilhe:

Em comemoração ao 10º aniversário da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Governo do Estado de São Paulo propôs uma ação para dar visibilidade e reconhecimento internacional às empresas públicas ou privadas que implementaram políticas de inclusão de pessoas com deficiência. Foi lançado o “Reconhecimento Global Boas Práticas para Trabalhadores com Deficiência”. As inscrições vão até o dia 30 de setembro e a cerimônia de premiação será no dia 02 de Dezembro de 2016, na sede da Organização das Nações Unidas, em Nova York, véspera do Dia Internacional das Pessoas com Deficiência.

A Secretaria já havia estabelecido no âmbito do Estado de São Paulo, em 2014, o Prêmio “Melhores Empresas para Trabalhadores com Deficiência”, com a segunda edição em 2015. No primeiro ano, três empresas receberam destaque por sua política interna bem sucedida de inclusão de trabalhadores com deficiência: Citibank Brasil, Itaú Unibanco e Serasa Experian. Em 2015, foram vencedoras: MAN Latin América, Serasa Experian e Citibank e Senac/SP, que empataram em primeiro lugar.

Todas as vencedoras, finalistas e também as demais empresas que participaram da edição estadual estão convidadas a participar do “Reconhecimento Global Boas Práticas para Trabalhadores com Deficiência”. Não há custo para inscrição, mas os finalistas que quiserem acompanhar pessoalmente a cerimônia de premiação, nos Estados unidos, irão por conta própria.

O objetivo da ação da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo é estimular as empresas a aumentar, em seu quadro de profissionais, os trabalhadores com deficiência, por meio de estratégias de criação e manutenção participativa, produtiva e igualitária em seu ambiente de trabalho, com contribuições substantivas no contexto de uma economia forte e sustentável pautada em valores humanos.

O reconhecimento internacional das iniciativas bem sucedidas de empresas que são exemplos positivos neste importante desafio de construir uma empresa inclusiva é uma excelente oportunidade para se tornarem mais atrativas para os melhores talentos e para se tornarem referência para outras empresas, facilitando tornarem-se mais competitiva, inclusive internacionalmente, sob o aspecto da responsabilidade social.

As empresas que chegarem à etapa final serão premiadas simbolicamente com um troféu, e valorizadas por seus investimentos e estratégias utilizadas para incluir de maneira ética e responsável os profissionais com deficiência em seu quadro de colaboradores.

As empresas que forem selecionadas, e se fizerem presentes, terão, não somente o reconhecimento internacional por diversos canais de divulgação, como também suas experiências constarão de uma publicação sobre essa iniciativa, em espanhol, inglês e português, elaborada pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Governo do Estado de São Paulo, com exposição mundial, além de constarem no site e mídias sociais da Secretaria: www.pessoacomdeficiencia.sp.gov.br e #inclusaoSP.

O Reconhecimento Global conta com a colaboração da Assessoria Especial para Assuntos Internacionais do Governo do Estado de São Paulo, da consultoria i.Social e suporte do UN Global Compact, além de parcerias com agências internacionais como a FRAmericas, ICCC, IDA, RIADIS, PNUD e Rede Brasil do Pacto Global. Também conta com o apoio de representações diplomáticas sediadas no Estado de São Paulo e de suas Câmaras de Comércio Exterior, especialmente dos países que tem legislação específica voltada à empregabilidade de pessoas com deficiência.

Para inscrição e mais informações: http://pmeri.sedpcd.sp.gov.br/

Fonte: Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Estado de São Paulo

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *