Surdos aprovam aplicativo que traduz informações do Poupatempo para Libras

Mais de cem pessoas com deficiência auditiva já testaram o aplicativo que traduz textos para Libras nas unidades do Poupatempo.

Dois rapazes sorriem com seus celulares nas mãos.
Compartilhe:

O aplicativo que traduz de português para a Língua Brasileira de Sinais (Libras) as informações sobre serviços prestados pelo Poupatempo foi testado por 102 surdos nos primeiros 40 dias de testes em três postos. A pesquisa com esse universo mostrou que 77,5% usariam novamente e recomendariam a solução.

A solução foi desenvolvida pela startup Hand Talk e os testes estão sendo realizados nos postos do Poupatempo da Sé, de Santo Amaro e de São José dos Campos desde o dia 1 de setembro e vão até o final do ano. O app permite que o deficiente auditivo tenha acesso a um vídeo em Libras, a partir de um código de resposta rápida (QR Code). Ao acessar o vídeo, ele fica sabendo, na Língua de Sinais, o que precisa para obter seu documento.

Para a realização dos testes, o código de barras foi inserido no material informativo sobre o RG e a Carteira de Trabalho, que estão entre os serviços mais procurados no Poupatempo.

Escola para Surdos

Entre os surdos que participaram dos testes estão alunos da Escola para Surdos ‘Instituto Santa Teresinha’. Acompanhados por professores e pela vice-diretora Andrea Bast, os estudantes visitaram o posto da Sé e foram recebidos por colaboradores treinados em Libras.

Os postos disponibilizam tablets, com aplicativo para ler o código, para aqueles que não têm um smartphone. Este dispositivo é necessário para ler o QR Code e “conectar” o cidadão com o Hugo (avatar criado pela Hand Talk para a comunicação via sinais).

Fotos disponíveis em: https://www.flickr.com/photos/poupatemposp/sets/72157675150988605/

Fonte: Segs

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *