Exposição fotográfica inclusiva no Centro Cultural Correios do Rio

A mostra traz série de fotos com recurso tátil e audiodescrição até 4 de dezembro, com entrada gratuita na Caixa Cultural Correios do Rio de Janeiro

Foto de uma obra em alto relevo sendo tateada por uma mão feminina; a imagem tátil é de um senhor sentado em frente a uma mesa
Compartilhe:

Ao contrário dos museus e mostras tradicionais, a Exposição Fotográfica Lentes da Memória – A Descoberta da Fotografia de Alberto de Sampaio, 1888-1930 propõe justamente o contrário: “Por favor, toque”. Com recurso tátil e audiodescrição, a mostra fica em cartaz até 4 de dezembro, no Centro Cultural Correios Rio de Janeiro. A entrada é gratuita.

Para quem enxerga, viver essa sensação pode ser uma forma de praticar a empatia, colocando-se no lugar de quem não enxerga e aproveitar a mostra com outro sentido, além da visão. É possível passear pelas obras táteis com os olhos vendados ouvindo a descrição de imagens, vivenciando a mesma maneira que as pessoas com deficiência visual têm acesso às informações visuais.

A exposição disponibilizará também maquete tátil do espaço da exposição e de objetos que estarão expostos, como a máquina fotográfica e câmera de filmar, muito utilizadas pelo fotógrafo Alberto de Sampaio.

As fotografias que compõem o acervo audiodescrito também contam com QR Codes para que o público, com deficiência visual ou não, possa acessar a descrição por meio do celular. Além dos recursos táteis e de áudio, há profissionais audiodescritores a postos em todos os dias da exposição, de terça à domingo, para receber grupos previamente agendados e acompanhar pessoas com deficiência visual durante a visita.

AÇÕES E HORÁRIOS

Monitores e recursos de audiodescrição disponíveis a todos os visitantes em todo o período da exposição. Audiodescrição gravada em canetas pentops para público com deficiência visual e Audiodescrição ao vivo com monitor para público com deficiência visual.

Audiodescrição ao vivo com monitor audiodescritor para grupos pré-agendados de pessoas com deficiência visual, em horário a combinar pelo telefone: (21) 99466 2096, com Gustavo.

O que: Exposição Fotográfica Inclusiva “Por favor, toque!”
Quando: até 4/12;  de terça-feira a domingo, das 12h às 19h
Onde: Centro Cultural Correios do Rio de Janeiro
Endereço: Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, Rio de Janeiro – RJ
Fone.: (21) 2253-1580
Obs.: entrada gratuita

6 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *