Em São José dos Campos, parque inclusivo é opção para crianças com deficiência

Local tem brinquedos adaptados para crianças com diferentes deficiências. Espaço funciona dentro do Parque Santos Dumont na região central

Símbolos da deficiência intelectual, visual, física e auditiva, em fundo roxo
Compartilhe:

O Portal G1 publicou matérias sobre o parque inclusivo no município de São José, em São Paulo, com brinquedos adaptados a crianças com deficiência. Confira abaixo a matéria na íntegra:

Um escorregador, um balanço e outros brinquedos adaptados estão fazendo diferença na rotina crianças com deficiência em São José dos Campos (SP). A cidade que ganhou o primeiro playground adaptado do Vale do Paraíba.

O parque inclusivo, que funciona dentro do Parque Santos Dumont, na região central, tem opções para que as crianças com tipo de deficiência possam brincar tanto entre elas, quanto com crianças que não têm nenhuma restrição de mobilidade.

Entre os brinquedos, há um balanço para acomodar cadeira de rodas, uma pista de caminhada sensorial, uma rampa de treino de marcha – semelhante às utilizados pelas clínicas de fisioterapia -, além de um painel interativo para crianças com deficiência visual.

“Pensei que a gente pudesse compartilhar com todas as crianças e que as mães pudessem vir para o parque e brincar todo mundo junto”, explica Giovana Carlo Magno, idealizadora do parque na cidade.

O reflexo de um espaço público preparado para receber estas crianças já é sentido na qualidade de vida que os pais buscam para elas. “A palavra chave é sempre adaptação. Muita gente acha que a limitação está na criança, mas ela está no espaço que não é adaptado para recebê-las”, disse Fabiana Clark, mãe de uma das crianças.

O parque Santos Dumont fica na rua engenheiro Prudente Meirelles de Moraes, 1000, na Vila AdyAna. Outras informações pelo telefone (12) 3921-7066.

Fonte: G1

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *