Centro de Inclusão da Pessoa com Deficiência realiza Carnaval na Paraíba

Prefeitura de João Pessoa promove baile de carnaval para pessoas com deficiência nesta sexta-feira (17), no Centro de Inclusão

Foto em close de várias serpentinas e confetes coloridos espalhados
Compartilhe:

Cerca de 120 crianças, adolescentes, adultos e familiares do Centro de Referência Municipal de Inclusão da Pessoa com Deficiência (CRMIPD), vão cair na folia de Momo na próxima sexta-feira (17). O Carnaval vai ser realizada das 14h às 17h, no próprio Centro de Inclusão, localizado na Rua Cel. Otto Feio da Silveira, 161, Pedro Gondim.

A fisioterapeuta Nadja Marques, lembra que a concentração da folia será na área interna da Unidade Municipal. “Mas se o tempo for favorável, sairemos com o bloco pelas ruas do nosso contorno”, destacou. Ela diz que o clima do Carnaval já tomou conta dos usuários.

Para provocar essa animação, as equipes já iniciaram os preparativos. “Já iniciamos a produção dos adereços, como máscaras, colares, bandeirinhas. Eles ficam muito animados com isso”, revela.

Socialização

Nadja fala sobre a importância da realização do Carnaval e outras festas, para o desenvolvimento social e psicológico dos visitantes. “É um momento que se busca o fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários, onde promove-se a elevação da autoestima e socialização, dando a oportunidade de incluí-los em atividades comuns a todas pessoas”, define.

As festas temáticas, como o Carnaval, o São João e o Auto do Natal são momentos esperados com muita ansiedade pelos usuários do Centro de Inclusão, formado por crianças, adolescentes e adultos.

O Centro de Inclusão é um serviço da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), executado sob a coordenação das três secretarias municipais do Desenvolvimento Social, Educação e Saúde.

Fonte: Prefeitura de João Pessoa

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *