Bloco promove inclusão de surdos no Carnaval

Idealizado pelo grupo Vibração, o bloco promove a inclusão de pessoas com deficiência auditiva nas festividades de rua no carnaval de São Paulo

Compartilhe:

Se você pensa que a batucada carnavalesca exclui as pessoas que não ouvem, está muito enganado. Este ano, um bloco de carnaval vai agitar a comunidade surda mostrando para nossa cidade que é possível ter acessibilidade em todo e qualquer projeto ou ações culturais.

Idealizado pelo grupo Vibração – que mantem há nove anos uma balada surda em São Paulo – e pela equipe Comuna, o bloco promete fazer vibrar as janelas e o concreto dessa cidade que tanto ignora essa parcela da população. Assim, pretendem fortalecer laços entre surdos, ouvintes e curiosos. Por isso, todos são convidados.

O leigo pode se perguntar: para quem não consegue ouvir os sons, como curtir um bloco de rua? A resposta é simples. Por meio da vibração das caixas de sons, o surdo consegue sentir a música e dançar. Para Marshall McLuhan, um destacado educador, intelectual, filósofo e teórico da comunicação canadense, o rádio era um tambor tribal – pois através dos sons podia movimentar nossa memória, sentidos, imaginação e reproduzir as batidas do coração. E são esses mesmos sons que geram a vibração que ainda hoje são capazes de fazer esse efeito, apesar de ser paradoxal, especialmente em quem não ouve.

E o Icom, um projeto da AME, está colaborando em parceria com essa festa inclusiva doando camisetas, intérpretes de libras, e ajudando a organizar a folia carnavalesca.

Sobre os idealizadores:

Equipe Vibração

A Vibração é um projeto independente que surgiu do desejo de incentivar as culturas e quebrar barreiras entre a comunidade surda e ouvinte de maneira inovadora e inclusiva.

É formado por uma equipe entre surdos e ouvintes que fundaram o grupo há 9 anos, festejando nos dias de surdos no mês de setembro e outras datas comemorativas. A festa circula pelos principais locais da cidade de São Paulo ocupando casas noturnas e centros.

 

Equipe COMUNA

A COMUNA nasce do desejo de fazer ações culturais acessíveis, não somente por terem a Libras e intérpretes qualificados em cena, mas por trazer o artista surdo como protagonista de seu próprio fazer cultural.

AME-SP

A AME nasceu em 1990, fruto da iniciativa de um grupo de pais e amigos de pessoas com deficiência, empregados da Companhia do Metropolitano de São Paulo – Metrô, interessadas em oferecer alternativas de atendimento especializado e melhores perspectivas de qualidade de vida a seus familiares.

Da mobilização inicial, até os dias hoje, a AME vem se desenvolvendo de forma sólida, ocupando lugar de destaque entre as instituições sociais do gênero, pela qualidade eficiência e seriedade com que realiza os serviços, atraindo cada vez mais clientes e associados. A AME conta com uma área de Libras com soluções que vão do intérpretes presenciais a uma sofisticada central de interpretação por vídeos-chamadas.

BLOCO VIBRAMÃO
Quando: sábado, 18/2, das 14h às 19h
Onde: Rua Mourato Coelho, entre os números 20-30, Vila Madalena – São Paulo, SP

*Com informações da assessoria

 

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *