Inscrições para camarotes da acessibilidade já começaram em Pernambuco

Ao todo, são três camarotes: um no Galo da Madrugada, outro em Olinda e o terceiro em Bezerros.

Foto de uma máscara veneziana e um chapéu verde limão com plumas nas cores verde e lilás em um fundo preto.
Compartilhe:

As inscrições para os camarotes da acessibilidade no Carnaval 2017 começaram nesta quarta-feira (15), a partir das 8h. Ao todo, são três camarotes: um no Galo da Madrugada, outro em Olinda e o terceiro em Bezerros.

Os interessados devem entrar em contato com a ouvidoria da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, por meio dos telefones (81) 3183-3075 ou 98494-1298. Outra opção é mandar mensagem pelo WhatsApp (exclusivamente destinado às pessoas com deficiência auditiva): (81) 98494-2310. Ou ainda por e-mail: camarote.ouvidoria@sdscj.pe.gov.br.

O camarote da acessibilidade no Galo estará localizado na Avenida Sul, nas imediações do camarote oficial do Galo da Madrugada e do Mercado das Flores. São 120 vagas destinadas à Superintendência Estadual de Apoio à Pessoa com Deficiência. Serão disponibilizadas 20 vans do PE Conduz para transportar os foliões até o local – partindo do antigo Recanto do Picuí (na Praça do Derby), às 7h, com retorno às 16h, para o mesmo local.

Em Bezerros, o camarote ficará localizado na Praça Duque de Caxias, S/N, na sede da Prefeitura, e funcionará nos dias 26, 27 e 28 de fevereiro, das 10h às 16h. São 20 vagas/dia destinadas à SEAD. Duas vans do PE Conduz farão para o transporte de pessoas com deficiência da cidade de Caruaru, com retorno ao final.

Em Olinda, o camarote da acessibilidade estará na avenida da Liberdade, esquina com a rua Doutor Justino Gonçalves – Praça do Carmo, funcionando nos dias 26, 27 e 28 de fevereiro, das 10h às 16h. São 40 vagas/dia destinadas à SEAD. Quatro vans do PE Conduz levarão os foliões, com saída do antigo Recanto do Picuí, na Praça do Derby, às 8h.

Fonte: Folha de Pernambuco

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *