Em MS, vereador solicita capacitação de servidores públicos em Libras

Justificativa é baseada no artigo 2° da Lei 4.294/05, que prevê a garantia de socialização e interação do surdo na sociedade

Em um fundo roxo, ícone que representa o símbolo de libras
Compartilhe:

No Mato Grosso do Sul, o vereador Delegado Wellington solicitou encaminhamento da Câmara ao Gabinete do Prefeito (Gapre), a disponibilização de intérpretes de Língua Brasileira de Sinais (Libras) em todas as repartições de serviço público.

Embasado no Art.2° da Lei 4.294/05 que assegura: o Munícipio a treinar e disponibilizar funcionários do seu quadro de pessoal permanente, aptos a comunicarem-se através da Língua Brasileira de Sinais – Libras, em todos os órgãos públicos, como forma de garantir a socialização e interação do surdo na sociedade, respeitando os seus direitos como cidadãos.

“Temos que nos preocupar em garantir que essa prerrogativa facultada pela Lei seja cumprida, tendo em vista o direito que os surdos têm da comunicação facilitada, sempre que precisarem de um serviço público, se fazendo entender e transmitindo seus anseios para que haja resolução de qualquer demanda envolvida”, argumentou o Vereador.

Fonte: Capital News

6 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *