Centro de Tecnologia e Inclusão de SP oferece cursos gratuitos para PCD

Localizado no Parque Estadual Fontes do Ipiranga (PEFI), em São Paulo, o Centro de Tecnologia e Inovação é o primeiro do país para pessoas com deficiência

Compartilhe:
O Centro de Tecnologia e Inclusão, localizado no Parque Estadual Fontes do Ipiranga (PEFI), é o primeiro centro tecnológico do país para pessoas com deficiência. Criado pela Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência, o CTI oferece uma série de atividades e cursos abertos também para pessoas sem deficiência. Os temas são variados e vão desde empreendedorismo, auto maquiagem, curso de cuidadores, Libras até showroom, entre outros.Atualmente, a primeira atividade programada é a palestra “Resiliência a superAÇÃO na vida!”. Um conceito fundamental na atualidade que consiste na capacidade de retornar ao estado natural, superando uma situação crítica. Em outras palavras, “dar a volta por cima”. O conceito se desenvolve a partir de experiências de superação das deficiências.Para quem busca trabalho a organização apresenta o curso “Preparação para o mundo do trabalho e como buscar trabalho”. Também há conteúdo profissionalizante para melhorar o currículo. E, como não poderia faltar, a pasta estadual disponibiliza o curso de cuidadores de pessoas com deficiência. As aulas trabalham atividades de vida diária com o objetivo de identificar necessidades e trabalhar a independência.

SERVIÇO

Centro de Tecnologia e Inclusão – Cursos para pessoas com ou sem deficiência
Local dos cursos: Parque Estadual Fontes do Ipiranga, Casa 17 (Recepção), (Rodovia dos Imigrantes Km 11,5, São Paulo)
O acesso com transporte público é a partir do terminal Jabaquara. De ônibus (Vila Guarani), Van (própria do Centro de Tecnologia) sai do Estacionamento Viola – R. Anita Costa, 101

Acesse o site da Secretaria e confira todas as palestras, cursos e horários.

Fonte: Portal do Governo do Estado de São Paulo

6 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *