Projeto Asas promove inclusão de alunos com deficiência em São Sebastião

Promovido pela prefeitura de São Sebastião, por meio da Secretaria da Educação (SEDUC), o projeto “Asas”, de formação profissional para alunos com deficiência

Foto de um grupo de jovens com cerca de 15 anos, em uma cozinha industrial. Eles usam toucas e aventais e posam juntos, sorrindo para a foto.
Compartilhe:

A prefeitura de São Sebastião, litoral norte de São Paulo, por meio da Secretaria da Educação (SEDUC) está promovendo o projeto “Asas”, de formação profissional para Pessoas com Deficiência (PCD). As aulas que acontecem no Centro Integrado Profissionalizante (CIP), no bairro da Topolândia, e vão até 20 de dezembro, às quartas-feiras, das 13:30h às 16:30h.

“O principal objetivo desse projeto é despertar competências, habilidades, aptidões e a vocação profissional nesses alunos, dando a eles oportunidade de olhar a frente e de ter uma perspectiva de trabalho, outro objetivo também é abrir os olhos das empresas para esses alunos” disse Fabiane Alkmin, coordenadora do curso.

O projeto “Asas” contempla 36 alunos da Costa Norte e Região Central da cidade, que cursam o Ensino Fundamental II (8º e 9ºAno) com deficiência cognitiva e física. O projeto conta também com dois professores que ministram as aulas semanalmente. Ele oferece aos beneficiados um curso dividido em três módulos, atendimento e recepção, montagem e preparação de coffee break, inclusão digital e noções administrativas.

Segundo a aluna Stephanie, de 15 anos, o projeto vem dando resultado. “Antes de entrar no curso eu tinha problemas na escola, de brigas e de interação com os colegas, depois que entrei no Asas meu comportamento melhorou e passei a aceitar melhor as diferenças e a opinião alheia”, disse ela.

Fonte: Portal R3

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *