Musical infantil acessível para adultos e crianças com deficiência visual

Espetáculo da Pocilgas & Cia baseado no livro “Heróis à Vista” aborda as superações de uma menina de 10 anos ao lado do cão-guia Boris

Foto do espetáculo. Em um palco, três pessoas manipulam fantoches de uma menina e um cachorro
Compartilhe:

O musical infantil Heróis à Vista, que fica em cartaz até 11 de junho, aborda as superações de uma menina de 10 anos ao lado do cão-guia Boris. Com direção de Márcio Araújo, o espetáculo da Pocilgas & Cia conta com a manipulação de bonecos em diferentes técnicas (direta, bunraku e fantoches) e traz uma grande inovação: audiodescrição para pessoas com deficiência visual, gravada pela cantora Ceumar.

Baseada no livro homônimo publicado pela Globo Livros, “Heróis à Vista” é uma grande aventura que conta a história de Boris, um cãozinho filhote que sonha ser um cão-guia, assim como o pai. Mas a avó Irina, uma cão-guia aposentada, avisa: “você terá que ser perseverante e aprender a se desapegar! Essa é a maior dificuldade de um cão-guia!”. Ao mesmo tempo, Luíza, uma menina de 10 anos, sonha ser detetive, mas ela também tem uma dificuldade: é cega. E por isso, alguns amigos na escola a desencorajam. Mas ela está decidida!

Em prol da causa do cão-guia

Heróis à vista transmite às crianças a importância do compromisso com a cidadania por meio de uma história de cumplicidade e esperança entre uma garotinha e seu cão-guia. Peça e publicação foram inspiradas em Boris, cão-guia de Thays Martinez, idealizadora do livro homônimo e protagonista no processo de elaboração e aprovação da lei que autoriza o trânsito livre desses animais por todo o Brasil. Thays – autora de Minha vida com Boris, publicado em 2011 pela Globo Livros – é fundadora do Instituto IRIS, organização que é uma das pioneiras no Brasil na difusão do cão-guia como facilitador do processo de inclusão da pessoa com deficiência visual. A ONG receberá parte da renda das vendas de ingressos da peça para investir na causa, ou seja, para vencer o desafio de aumentar o acesso das pessoas que querem um cão-guia a esse benefício.

Atualmente, o IRIS conta com uma lista composta por quase 3 mil pessoas que aguardam a doação de um cão-guia. Além do objetivo de doá-los aos inscritos, Thays tem um sonho a ser realizado: criar uma estrutura para treinar cães-guia no Brasil, oferecer classes a instrutores e disseminar informações precisas sobre a enorme contribuição dos cães-guia na vida das pessoas com deficiência visual ou baixa visão.

O quê: Espetáculo infantil “Heróis à vista”
Quando: Sábados e domingos, até 11/6, às 16h
Onde: Teatro Alfredo Mesquita
Endereço: Av. Santos Dumont, 1770 – Santana, São Paulo – SP
Tel.: (11) 2221-3657
Ingressos: R$ 15,00 (inteira) e R$ 7,50 (meia-entrada)

Fonte: Assessoria

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *