“D+eficiência”: conheça a rede social que conecta pessoas com deficiência

Rede de apoio e aprendizagem virtual pode contribuir com a reabilitação, participação e qualidade de vida de seus usuários

Ilustração lúdica com adultos e crianças, de diversas etnias e idades. Ao centro, há uma garota cadeirante e, do lado direito, uma menina cega
Compartilhe:

Uma rede social para que pessoas com deficiência compartilhem suas dificuldades e, dessa forma, recebam auxílio no processo de reabilitação, inclusão social e autonomia. Essa é a proposta da plataforma D+eficiência: um projeto que surgiu da tese de doutorado da professora da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) Fabiana Faleiros Santana Castro.

Pacientes, familiares, cuidadores e profissionais da área podem participar da rede social. Para utilizar, é necessário apenas a criação de um perfil para interagir com as pessoas por meio de postagem de fotos, vídeos, reportagens e artigos. O principal benefício da plataforma é a presença de conteúdos confiáveis, com supervisão constante de profissionais da saúde.

O projeto é coordenado pela professora Fabiana e fomentado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Edital Tecnologia Assistiva no Brasil e Estudos sobre Deficiência (PGPTA).

A inciativa da USP ainda conta com a colaboração da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) e Universidade de Dortmund, na Alemanha.

Fonte: Jornal da USP

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *