Sinfonia da inclusão: ensaio de orquestra tem participação de crianças surdas

Alunos de uma escola pública puderam sentir a vibração de diversos instrumentos musicais da Orquestra Sinfônica de Campinas por meio do toque

Símbolo da deficiência auditiva, em fundo roxo
Compartilhe:

As crianças e pré-adolescentes surdos de uma escola municipal da região participaram, pela primeira vez, de um ensaio da Orquestra Sinfônica de Campinas (SP). O primeiro passo foi observar à distância, da plateia. Os movimentos chamaram a atenção e garantiram olhares atentos.

As sensações aumentaram logo em seguida. As crianças, descalças, subiram no palco e puderam chegar bem perto e até tocar em alguns dos instrumentos. Depois de uma conversa com o maestro chileno, Victor Hugo Toro, cada criança pode escolher o instrumento preferido.

Eles sentiram as cordas e alguns também conseguiram perceber os sons mais graves. Mas um gesto, esse sim silencioso, chamou a atenção tanto quanto os instrumentos: a regência do maestro. Os alunos chegaram a imaginar que cada movimento pudesse ser aleatório e, ao compreenderem como é reger uma orquestra, se encantaram mais uma vez.

Fonte: G1

3 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *