Marido cria cadeira de rodas adaptada para esposa continuar praticando montanhismo

Equipamento nasceu da adaptação de um propósito parecido, encontrado na Europa, e já pode ser utilizado por cadeirantes de diversas partes do Brasil

Foto em plano aberto de cadeira de rodas adaptada, com apenas uma roda e barras para que ela possa ser carregada, no topo de uma montanha
Compartilhe:

Guilherme Simões Cordeiro e Juliana Tozzi sempre gostaram de fazer trilhas e escaladas, mas essa realidade mudou depois que Juliana acabou desenvolvendo uma síndrome neurológica rara, durante a gravidez. Dentre os sintomas, ela se deparou com a dificuldade de locomoção e teve que parar de praticar o esporte.

Guilherme procurou, então, uma alternativa para ajudar a esposa. Assim nasceu a Julietti: uma cadeira adaptada para montanhismo. Ela deu tão certo que eles começaram o “Montanha para Todos”, projeto que foi apresentado no Fórum de Acessibilidade e Inclusão de Mato Grosso, que aconteceu no dia dez de junho. Seu objetivo é espalhar o aparelho por todo o Brasil, para que pessoas com dificuldade de locomoção possam praticar o esporte.

Hoje, o projeto já possui 11 Juliettis, em diversas localidades. Para usá-las, não é preciso pagar nada, basta o cadeirante acessar o site do projeto “Montanha para Todos” e entrar em contato com as pessoas que as guardam.

“Queremos transformar o Montanha Para Todos em uma Ong voltada para a inclusão de pessoas com deficiência nos esportes radicais e atividades outdoor. Queremos distribuir equipamentos adaptados para estas atividades em diversos locais pelo mundo. Para tornar tudo isso realidade, vamos montar um banco de voluntários pelo mundo, dispostos a ajudar e interagir com essas pessoas”, conclui Guilherme.

Fonte: Olhar Conceito

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *