A importância dos exercícios físicos para pessoas com deficiência

Conheça modalidades de esportes e exercícios físicos indicados para pessoas com deficiência

Em fundo roxo, há um ícone de uma bola de futebol
Compartilhe:

A Gazeta Esportiva publicou matéria que aborda os benefícios dos exercícios físicos para pessoas com deficiência:

Praticar esportes com regularidade traz inúmeros benefícios para a saúde física e mental, além de melhorar a qualidade de vida. Para as pessoas com deficiência, os ganhos são ainda maiores: aprimora a força, a agilidade, a coordenação motora, o equilíbrio e o repertório motor. No aspecto social, proporciona a oportunidade de sociabilização entre quem tem e não tem deficiência, além de aumentar a independência no dia a dia.

No aspecto psicológico, o esporte melhora a autoconfiança e a autoestima, tornando os praticantes mais otimistas e seguros para alcançarem seus objetivos. Previne as enfermidades secundárias à deficiência e ainda promove a integração social, levando o indivíduo a descobrir que é possível, apesar das limitações físicas, ter uma rotina normal e saudável.

“Os exercícios físicos tanto por competitividade quanto por diversão proporcionam inúmeros benefícios para o corpo e mente. Porém, é imprescindível respeitar as limitações, adequando modalidades e objetivos pessoais”, comenta a Dra. Karina Hatano, médica do exercício e do esporte.

A especialista explica ainda que é fundamental o acompanhamento na hora de executar um movimento. “É imprescindível seguir todas as normas de segurança para evitar acidentes e estimular sempre o desenvolvimento da potencialidade individual”, comenta.

Modalidades sugeridas

Judô – para pessoas com deficiência visual.
Natação– voltada para amputados, pessoas com paralisia cerebral, deficiências visuais, paraplégicos e outros.
Tiro – para amputados, pessoas com paralisia cerebral e cadeirantes.
Bocha – para aqueles com paralisia cerebral.
Vela – modalidade voltada para amputados, cadeirantes, pessoas com deficiência visual, paralisia cerebral e outros.
Futebol de cinco – praticado por pessoas com deficiência visual.
Basquete em cadeira de rodas – disputado por pessoas com alguma deficiência física-motora

Fonte: Gazeta Esportiva

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *