App permite que voluntários auxiliem pessoas com deficiência visual

O software Be My Eyes, que já estava disponível há alguns anos para IOS, acaba chegar ao sistema Android e permite que pessoas com deficiência visual solicitem ajuda remotamente a voluntários cadastrados

Foto com destaque para uma mão segurando um smartphone apontado na direção de uma caixa de leite
Compartilhe:

O site Pequenas Empresas & Grandes Negócios publicou uma notícia sobre o aplicativo Be My Eyes, sistema que reúne voluntários para auxiliar pessoas com deficiência visual. Leia a matéria na íntegra:

Já pensou em ajudar alguém que precisa hoje? Praticar uma boa ação à sociedade não exige, necessariamente, que você tenha que se locomover até uma ONG ou fazer doações. Na verdade, pelo seu próprio smartphone você consegue ajudar outro indivíduo. Essa é a proposta do aplicativo Be My Eyes, sistema que reúne uma comunidade de pessoas com deficiência visual e voluntários a ajudá-los a enxergar.

O funcionamento é simples: ao se cadastrar no aplicativo, você deve informar se é alguém que precisa de ajuda ou se é um voluntário. Caso seja uma pessoa com deficiência visual, você pode recorrer ao aplicativo sempre que precisar de ajuda para enxergar alguma coisa e deve apenas apontar a câmera para o objeto. Assim, um voluntário que esteja capacitado a falar a mesma língua que você irá te informar e te guiar com qual seja sua dúvida.

A funcionalidade permite que a pessoa com deficiência visual peça ajuda para saber, por exemplo, se algum alimento em sua geladeira está vencido ou até se os seus pares de meias estão combinando.

Sempre que um cego ao redor do mundo precisar de ajuda, os voluntários cadastrados no aplicativo que falem a mesma língua que ele, recebem uma notificação para iniciar a conversa por áudio.

O aplicativo, que já estava há algum tempo disponível para o sistema iOS, acaba de chegar para Android.

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *