Criador do Mobilize, Ricky Ribeiro lança livro e campanha de financiamento coletivo

“Movido pela Mente” discute mobilidade urbana e a luta de Ricky contra a Esclerose Lateral Amiotrófica; toda a renda será revertida para a sustentação do portal

Foto de Ricky Ribeiro, um jovem branco, de cabelos e olhos castanhos. Ele olha para o lado esquerdo e está de perfil, com uma expressão contemplativa
Compartilhe:

O Mobilize Brasil foi criado e é dirigido por Luiz Henrique (Ricky ) da Cruz Ribeiro, um cara apaixonado por gente, cidades e mobilidade urbana. Desde 2008 Ricky luta contra a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), doença degenerativa que lhe roubou os movimentos mas preservou toda sua capacidade cerebral. Hoje ele trabalha de seu quarto-escritório acionando o computador com os olhos.

Ao lado da escritora Gisele Mirabai, Ricky está escrevendo sua história, desde os tempos em que viajava, praticava esportes e pedalava pelas ruas do mundo. O livro “Movido pela Mente” traz a público a história de um rapaz que perdeu todos os movimentos, mas luta e trabalha com entusiasmo para melhorar a mobilidade urbana nas cidades do Brasil.

É também um livro sobre mobilidade urbana sustentável e as experiências de seu autor com trens, ônibus, metrôs, barcos, motocicletas, automóveis, bicicletas e muitas caminhadas. De Japaratinga, em Alagoas, Paramaribo, no Suriname, Corfu, na Grécia, ou cidades bem conhecidas: Paris, Toronto, Barcelona, Amsterdã, Veneza, Recife, Rio de Janeiro, Curitiba e São Paulo.

A obra é principalmente um relato sobre os desafios que surgem na trajetória de uma pessoa inquieta e as estratégias para vencê-los. O maior deles, a doença, que começou a se manifestar com pequenos tropeções, quando Ricky trabalhava na cidade do Recife. Narrado em primeira pessoa pelo próprio autor, Movido pela Mente é uma pequena lição de sabedoria e persistência.

O livro será lançado no início de dezembro, no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo.

Para saber mais, veja o vídeo, acesse a plataforma Benfeitoria, apoie a campanha de crowdfunding e ajude o Mobilize no site Benfeitoria.

Fonte: Mobilize

6 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *