Acessibilidade em Biblioteca chega a Catanduva

Catanduva é um dos municípios selecionados pelo projeto Acessibilidade em Biblioteca, do Governo do Estado de São Paulo

Foto de duas mulheres em uma biblioteca, com dispositivos acessíveis para leitura à frente.
Compartilhe:

A Prefeitura de Catanduva celebra mais uma conquista a partir de projeto apresentado pela Secretaria Municipal de Cultura no concurso Acessibilidade em Biblioteca, do Governo do Estado de São Paulo. A proposta garantiu equipamentos para compor a Biblioteca Acessível de Catanduva, já em pleno funcionamento.

O kit da Biblioteca Acessível consiste num acervo em Braille com equipamentos que facilitam o acesso à pessoa com deficiência visual: computador, ampliador automático, scanner leitor de mesa, teclado ampliado, mouse estacionário e software de voz sintetizada para atuação com o software leitor de tela NVDA.

O novo espaço, destinado a pessoas com deficiência visual, compõe a estrutura da Biblioteca Municipal Embaixador Macedo Soares. Em todo o Estado, foram selecionadas 62 bibliotecas – incluindo Catanduva.

A utilização da biblioteca deve ser feita por meio de agendamento de horário. Desta forma, o profissional capacitado para auxiliar e orientar os usuários durante o uso do equipamento poderá fazer um atendimento personalizado.

“O objetivo é promover o acesso à informação, com segurança, autonomia e conforto aos cegos ou com deficiência visual nas dependências da Biblioteca Municipal. O local é um espaço fundamental de difusão do conhecimento e, por isso, deve ser dinâmico e inclusivo”, comenta a diretora de Cultura, Cris Anovazzi.

Com a novidade, a Prefeitura dá mais passo no sentido de oferecer aos frequentadores ferramentas e equipamentos necessários à pesquisa. “Nas atividades do dia a dia, o ambiente deve ser preparado para as diferenças, de modo a permitir o acesso e a integração plena às suas instalações”, reforça.

O acervo aberto e acessível está disponível no site catanduva.phl-net.com.br, e a Biblioteca Municipal conta com aproximadamente 61 mil exemplares de livros, 178 títulos de livros em braille e 175 títulos de audiolivros.

A Biblioteca Municipal Embaixador Macedo Soares compõe o Centro Cultural de Catanduva, situado na avenida São Domingos, 880. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3525-0911.

Fonte: O Regional

3 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *