Bloco Todo Mundo Cabe no Mundo inclui pessoas com deficiência

Os ensaios para participar do bloco de rua acontecem às segundas, em São Paulo; o desfile está marcado para o domingo, 11/2

Foto de um grupo de cinco mulheres, com os rostos pintados e chapéus. Uma delas é cadeirante e elas participam de um bloco de rua
Compartilhe:

 O portal Hoje em Dia publicou uma matéria sobre um bloco de carnaval inclusivo para pessoas com deficiência. Leia na íntegra:

“Todo mundo tem direito à alegria”, defende o artista visual mineiro Marcelo Xavier, de 68 anos. Cadeirante há duas décadas, desde que descobriu que tinha esclerose lateral amiotrófica (ELA), ele é o idealizador do bloco carnavalesco Todo Mundo Cabe no Mundo, que começa seus ensaios hoje, e acontecem todas as segundas-feiras até o Carnaval, sempre às 19h, no Parkbelo Espaço Multiuso (rua Piauí, 647, Santa Efigênia).“Nossa bateria é absolutamente democrática. Não temos uma rigidez musical. Mesmo atravessando o samba, todo mundo que chegar é bem-vindo”, diz Xavier, lembrando que o desfile está marcado para o dia 11 de fevereiro, domingo, e sai do mesmo local dos ensaios.

A agremiação, que surgiu em 2016, acolhe pessoas com deficiências de todos os tipos, idades e perfis. Xavier conta que a iniciativa surgiu da constatação de que havia pouco espaço para esse público na folia de rua. “Depois que passei a ser cadeirante, percebi que essa parte da população ficava de fora da festa. Faltava algo que os inspirasse a sair de casa e não sentirem-se excluídos”, afirma. “Essa exclusão começa pela própria pessoa com deficiência, que acaba evitando espaços públicos, com medo de ser descriminada, por não se encaixar num certo padrão”, diz.

A conclusão somou-se a um passado carnavalesco, antes usufruído pelo artista em outras cidades, quando Belo Horizonte ainda não respirava a folia. “Desde criança, eu adoro o Carnaval. Na adolescência, viajava para o interior ou para lugares como Olinda, Recife e Salvador, porque não existia Carnaval por aqui. Já na década de 80, quando surgiu o desfile dos blocos carnavalescos, criei um que se chamava Partido Alto. Desfilamos por três anos na Afonso Pena e foi uma experiência incrível”, afirma Xavier, ressaltando o recente reflorescimento do Carnaval de rua, de 2009 para cá.

“Parecia que meus sonhos tinham sido realizados. Poder ocupar a rua, pular Carnaval na minha cidade, depois voltar para minha casa e dormir na minha cama. Surgiu uma moçada cheia de energia, ocupando a cidade de um jeito muito importante. Agora, os ‘caretas’ que saiam fora”, diverte-se.

Para Xavier, o Carnaval se destaca por seu potencial de transformação – fato que o levou a criar o Todo Mundo Cabe no Mundo. “Vejo este Carnaval de rua, solto e espontâneo, como uma tremenda obra de arte, que traz a possibilidade de experimentar uma utopia estética e social, de criar novas realidades”, afirma o artista.

Ter um respiro dessa rigidez que a sociedade nos impõe é muito benéfico para a alma. Ainda mais para uma pessoa com deficiência, que geralmente só tem oportunidade de participar de encontros públicos em escolas e locais fechados. Poder ocupar as ruas e participar de uma manifestação forte como o Carnaval, junto a pessoas de todos os tipos, é maravilhoso”, sublinha, ressaltando que o feedback dos participantes e de seus familiares é sempre emocionante.

Fonte: Hoje em Dia

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *