Memorial da Inclusão inaugura exposição tátil com acervo do Sesc São Paulo

A mostra traz doze trabalhos de artistas contemporâneos nacionais e internacionais, do acervo do Sesc, traduzidos em reproduções táteis com variadas técnicas e recursos

Foto de um grande painel preto, com três aviões voando em diferentes direções. Os aviões são feitos de tecido, plástico e outros materiais com diferentes texturas, em laranja, azul, detalhes em dourado, prateado e plástico-bolha. Há dizeres em braile, com o texto: Obra Tapete Voador I, II e III; artista: Alex Flemming; adaptação tátil: Marina Baffini
Compartilhe:

O Memorial da Inclusão, ação da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, recebe a exposição temporária “INCLUA-ME Arte e Cultura para Todos”, da artista plástica Marina Baffini.

Por meio dos sentidos e da exploração da estética tátil, cada visitante poderá experimentar e amplificar sua maneira de se relacionar com a obra de arte; além de investigar sensações e analogias entre relevos, formatos e texturas.

A informação estética da sua realização e a essência das obras foram preservadas, para que a original e a sua tradução revelem-se em diferentes linguagens, mas mantenha entre si uma relação de mesma forma. A palheta de cores foi mantida e valorizada nas adaptações, algumas vezes modificadas em contraste, tornando as imagens acessíveis para todas as pessoas.

A exposição fica no espaço até 28 de março e pode ser visitada gratuitamente, de segunda a sexta-feira das 10h às 18h e aos sábados das 13h às 17h (exceto feriados e pontos facultativos).

O quê: Exposição INCLUA-ME Arte e Cultura para Todos
Quando: de 3/2 a 28/3, de segunda a sexta-feira das 10h às 18h e aos sábados das 13h às 17h (exceto feriados e pontos facultativos)
Onde: Memorial da Inclusão
Endereço: Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 564, Portão 10, Barra Funda, São Paulo/SP
Tel.: (11) 5212-3727
Obs: Com Audiodescrição, interpretação em Libras e adaptação tátil

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *