Cinema ao ar livre terá audiodescrição e acessibilidade em São Paulo

Serão 28 sessões gratuitas de filmes infantis e nacionais, incluindo projeções acompanhadas de audiodescrição para pessoas com deficiência visual

Em fundo verde, há um ícone branco que representa um rolo de filme
Compartilhe:

Por Fernanda Cruz – Repórter da Agência Brasil

Começou nesta segunda-feira, 19, a semana de Cinema ao Ar Livre na Praça Ayrton Senna, próximo ao Parque Ibirapuera, na capital paulista. Serão 28 sessões gratuitas de filmes infantis e nacionais, incluindo projeções acompanhadas de audiodescrição para pessoas com deficiência visual.

Os filmes serão apresentados até domingo (25), com sessões às 10h, 13h, 15h30 e 18h. Algumas das produções infantis apresentadas serão Eu e Meu Guarda-Chuva, Up – Altas Aventuras, Zootopia: Essa Cidade é o Bicho, Minhocas: O Filme, Moana – Um Mar de Aventuras, Rio e Rio 2.

Os filmes adultos e nacionais serão: Reis e Ratos, O Bem Amado, Os Penetras, O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias, Trair e Coçar, É Só Começar, A Mulher Invisível, O Homem do Futuro, Se Eu Fosse Você, Se Eu Fosse Você 2, Lisbela e o Prisioneiro, A Dona da História, Linda de Morrer, Linha de Passe, O Casamento de Romeu e Julieta, De Onde Eu Te Vejo, Cidade de Deus e As Melhores Coisas do Mundo.

A capacidade do evento é 200 pessoas, que devem reservar o ingresso gratuitamente pelo site. O local é acessível para cadeirantes e tem banheiros adaptados para pessoas com deficiência física. Uma área de alimentação foi montada com foodtrucks e foodbikes. Será permitida a entrada com animais de estimação.

O evento é realizado pelo Programa de Ação Cultural, do governo estadual, em parceria com a Sagarana Comunicação e patrocínio da Comgás e da empresa TKM.

Fonte: Agência Brasil

6 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *