Unibes Cultural inaugura biblioteca acessível em São Paulo

Espaço está equipado com o OrCam MyEye, tecnologia assistiva para cegos, pessoas com baixa visão e deficiência cognitiva, como dislexia

Foto do logo da BiblioTech em uma parede de vidro. Atrás, pessoas de diversas idades circulam pelo ambiente
Compartilhe:

Nesta quinta-feira, 1/3, a Unibes Cultural inaurou a primeira biblioteca brasileira 100% acessível. Localizada na zona oeste de São Paulo, ao lado do Metrô Sumaré, o espaço está equipado com o OrCam MyEye, ferramenta de inclusão que garante mais independência aos cegos, pessoas com baixa visão e deficiência cognitiva, como dislexia.

O equipamento, que não precisa de internet, fotografa, escaneia e transforma textos e números em áudio a partir de um simples comando do dedo. O usuário pode ter acesso a qualquer livro, revista, jornal, placas de sinalização, cardápios, telas de smartphones e computadores. Após o reconhecimento, o dispositivo retransmite a informação discretamente no ouvido do usuário por meio de um fone de ouvido pessoal.

O evento teve a participação do co-fundador e CEO da Orcam desde 2010, Ziv Aviram, de Abe Magid, diretor da Mais Autonomia, representante exclusiva da tecnologia no Brasil, do Secretário Municipal de Direitos da Pessoa com Deficiência, Cid Torquato, do diretor executivo da Unibes Cultural, Bruno Assami, e da presidente da Unibes, Denise Zaclis Antão.

Aviram vendeu a startup Mobileye (detentora da tecnologia para carro autônomo) para a Intel ano passado por 15,3 bilhões de dólares. A tecnologia da Orcam MyEye é a mesma do carro autônomo, baseada em inteligência artificial e um jogo bem resolvido de algoritmos. Ele também o é criador do carro autônomo (trafega sem motorista) e do dispositivo Orcam MyEye.

* Com informações da assessoria

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *