CIEE inaugura o Inclui CIEE

O espaço é o primeiro do Brasil a dedicar 100% do seu atendimento a jovens e estagiários com deficiências que desejam ter uma oportunidade no mundo de trabalho

Foto da entrada do Inclui CIEE, com uma jovem cadeirante na porta. Ela está uniformizada, usa um crachá e sorri
Compartilhe:

O Centro de Integração Empresa – Escola (CIEE) irá inaugurar nessa quinta-feira (22), às 18h30, o Inclui CIEE. O evento acontece no Teatro CIEE, localizado na Rua Tabapuã, 445, Itaim Bibi, em São Paulo.

O Inclui CIEE é um espaço destinado ao atendimento de jovens e estagiários com deficiência física e intelectual (PCD´s) que buscam uma oportunidade no mundo de trabalho. Na área, o jovem terá um espaço de atendimento adaptado e acessível em pleno acordo com as suas necessidades. Durante a inauguração, o CIEE realizará um seminário que debaterá a ampliação do conceito de inclusão e a necessidade de incluir cada vez mais minorias excluídas.

De acordo com Luiz Gustavo Coppola, superintendente nacional de atendimento do CIEE, a entidade já realizava um atendimento similar, que beneficiou mais de 40 mil jovens com vagas de estágio, aprendizagem e até mesmo emprego, porém ainda faltava no Brasil um espaço 100% dedicado a esse público. O objetivo da entidade é ampliar o espaço Inclui CIEE para todas as unidades do Brasil.

“Desde 1999 já realizávamos essa ponte de incluir o jovem com deficiência nas empresas, mas chegamos a um ponto de perceber que apenas isso não seria o suficiente, era necessário algo ainda mais direcionado. O Inclui CIEE tem essa missão ainda mais latente, de sensibilizar empresas e órgãos parceiros a enxergarem o jovem pelo seu potencial de desenvolvimento e não suas limitações”, explica.

O Inclui CIEE atuará como uma consultoria. Ele fará uma análise completa para entender se a empresa possui estrutura para receber um jovem com deficiência, qual o perfil da vaga que ela disponibiliza e o perfil necessário para preenchê-la, acompanhamento do processo seletivo pré e pós-contratação, entre outros.

Fonte: Assessoria

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *