Cultura Inclusiva promove programação de Peças de Teatro com Libras em São Paulo

Ação organizada pelas Secretarias Municipais de Cultura (SMC) e Pessoas com Deficiência (SMPED) para incluir pessoas com deficiência auditiva na cultura

Foto em close de marionetes articulados em fila, indicando a evolução do macaco até o homem. No lado direito, há um boneco de Charles Darwin, um senhor com cartola e longa barba branca
Compartilhe:

A Secretaria Municipal de Cultura em parceria com a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência promove em abril uma série de peças teatrais gratuitas com interpretação de Língua Brasileiras de Sinais. O objetivo é incluir a população com deficiência auditiva – moderada ou severa – no circuito de cultura de São Paulo.

Os espetáculos integram o projeto “Cultura Acessível”, ação de incentivo a participação de pessoas com deficiência na programação cultural do município.

No dia 14, as peças “Show de Cabaré” e “DARWIN BR” animam o segundo sábado do mês. Cada montagem voltada a um público, desde adulto até infantil, para a diversão de toda família.

Já no dia 16, “A Serpente” será apresentada no teatro Teatro Arthur Azevedo, na Mooca, a partir das 21h. O espetáculo conta a história das irmãs Guida e Lígia, que não medem esforços para ajudar uma a outra.

E no dia 30, última segunda-feira de cada mês, tem ‘Teatro na Mário’ com acessibilidade. O monólogo “Isso não é um Sacrifício”, interpretado pela atriz Fernanda DUmbra, entra em ação às 19h, abordando o apedrejamento, metafórico e literal, sofrido pelas mulheres em seus cotidianos.

Toda a programação é gratuita e contará com intérpretes de Libras.

Confira a programação acessível completa do mês de abril:

Peça: “Cia Liquidificador apresenta: Show de Cabaré”
Quando: sábado, 14/4, às 16h
Onde: 
Casa de Cultura da Brasilândia – Praça Benedicta Cavalheiro, s/nº.
Resumo: Trata-se de uma apresentação interativa. Uma trupe realiza audições para completar o elenco do seu próximo show de cabaré e convidam o público a demonstrar o seu talento. Entre uma apresentação e outra do grupo, a plateia é convidada a demonstrar suas habilidades artísticas, dentre elas: tocar uma música, cantar, dançar, fazer malabarismo, contar piada etc. Para auxiliar na execução dos números, o público tem à sua disposição diversos adereços e instrumentos.

“DARWIN BR”
Quando: sábado, 14/4, às 16h
Onde: Teatro Décio de Almeida Prado – Rua Cojuba, 45-B, Itaim Bibi

Resumo: O espetáculo infantil Darwin BR se inspira na passagem do cientista Charles Darwin pelo Brasil durante sua viagem de cinco anos ao redor do mundo. O Brasil foi o primeiro país tropical por onde o naturalista passou, e a variedade presente nas florestas e nos animais brasileiros deixou Darwin muito impressionado, o que rendeu muitos comentários ao longo de sua vida.

“A Serpente”
Quando: sexta-feira, 20/4, às 21h
Onde: Teatro Arthur Azevedo – Av. Paes de Barros, 955 – Mooca

Resumo: O espetáculo conta a história Guida e Lígia, duas irmãs muito ligadas que se casaram no mesmo dia e moram juntas, dividindo um apartamento com seus respectivos maridos. Um ano depois, Guida vive uma intensa lua de mel e Lígia é praticamente virgem. Infeliz, Lígia expulsa o marido de casa e conta à irmã que pensa em morrer. Guida faz a seguinte proposta: Lígia deve passar uma noite com seu marido, Paulo, para desistir de se matar.

Jorge Amado de Todos
Quando: domingo, 22/04, às 16h
Onde: Casa de Cultura Casarão – Praça Oscár da Silva, 110, Vila Guilherme

Resumo: Este espetáculo homenageia o Escritor Jorge Amado. A oportunidade de reapresentar autor e obra é momento para reflexão sobre tradições críticas na cultura brasileira, que ele representa tão bem. Discutir sua produção é pensar sobre lutas sociais em escala mundial e abordagens específicas a respeito dessas experiências no Brasil, tratando de grandes problemas que perturbam a vida de homens e mulheres até nossos dias, como racismo, opressão contra mulheres e pobres, perseguição contra religiosidades populares, migrações, exploração do trabalho e outros.


“Isso não é um Sacrifício”
Quando: segunda-feira, 30/4, às 19h
Onde: Biblioteca Mário de Andrade – R. da Consolação, 94 – Consolação

Resumo: O monólogo aborda o apedrejamento, metafórico e literal, sofrido pelas mulheres em seus cotidianos. A atriz Fernanda DUmbra utiliza um microfone em cena e é acompanhada por música ao vivo.

Fonte: Assessoria

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *