Parceria cria oportunidade de trabalho para cadeirantes

A Courrieros, empresa de bike entregas passa ter um cadeirante em seu time de entregadores

Compartilhe:

A Courrieros, em parceria com a empresa Livre Soluções eles estão criando oportunidade para cadeirantes. A ideia é buscar parcerias com novas empresas para oferecer oportunidades para novos cadeirantes, porque o kit de adaptação demanda um investimento alto.

 O novo biker da Courrieros já começou a fazer entregas. A ação só foi possível graças a uma parceria com a Livre Soluções em Molibidade, empresa que desenvolve equipamentos para auxiliar a mobilidade e dar autonomia aos cadeirantes.

O produto doado pela empresa é o Kit Livre, um acessório que pode ser acoplado em qualquer modelo de cadeiras de rodas manual transformando-a num triciclo motorizado elétrico.

“Graças à doação pudemos contratar um cadeirante para fazer parte de nossa equipe de courrieros. Antes de efetivá-lo realizamos vários testes de trajetos e entregas e só depois deles o projeto foi viabilizado”, ressalta Victor Castello Branco, sócio-diretor da empresa.

Além disso, ele explica que o recrutado passou um dia inteiro em treinamento na fábrica da Livre em São José dos Campos para se familiarizar com o equipamento e entender seu funcionamento.

Contratado com carteira assinada, o cadeirante está começando e fazer entregas desde a semana passada. No começo elas serão feitas em lugares próximos à base da Courrieros (Brooklin, Vila Olímpia e Itaim Bibi) e depois elas serão realizadas em todas as regiões de São Paulo, como qualquer outro ciclista.

“Investir em ações inclusivas e sustentáveis é parte da nossa missão. Resolvemos apostar nessa iniciativa, pois ela tem um viés sustentável e social”, destaca o diretor da Courrieros, ao contar que o objetivo da empresa é ir atrás de novas parcerias para oferecer essa oportunidade para outros cadeirantes.

Para saber mais sobre a área de atendimento e maiores informações acesse o site da Courrieros.

Fonte: Assessoria

6 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *