‘Inclusão na Lata’ formaliza denúncia no MPF contra instituições que cuidam de PCDs

A manifestação é baseada no relatório divulgado pela Human Rights Watch que avalia o atendimento nesses centros

Em fundo amarelo, logotopo do canal Inclusão na Lata, em vermelho e preto. O L de lata forma um colchete, complementado por outro colchete entre o A de Lata
Compartilhe:

A Human Rights Watch, ONG internacional de defesa dos direitos humanos, divulgou nesta semana relatório que denuncia as condições a que são submetidas as pessoas com deficiência em instituições no Brasil. A pesquisa revela a realidade chocante desses locais que, supostamente, deveriam estar cuidando da saúde dos seus moradores. Em muitos desses centros as pessoas são amarradas na cama, recebem medicação para serem contidas, ficam isoladas o dia todo sem nenhum tipo de atividade ou interação, e não têm privacidade.

Diante dessas informações, o canal Inclusão Na Lata, que trata de questões ligadas às pessoas com deficiência, formalizou denúncia no MPF- Ministério Público Federal. “É imperativo que o Poder Público não apenas fiscalize, mas também puna os responsáveis a partir do que rege a nossa Constituição e a LBI – Lei Brasileira de Inclusão. Só assim podemos garantir que mais mortes e maus tratos não aconteçam”, afirma Dudé, apresentador do canal.

A jornalista, idealizadora do canal Inclusão na Lata e da startup Incluir Dá Certo, Renata Lellis, explica que o objetivo é estimular que outras pessoas também se manifestem e deem força ao movimento. “Temos conhecimento que essa denúncia feita de forma isolada não resolverá essa tragédia, mas vamos a público para que outras pessoas se sintam motivadas a fazer o mesmo”.

Confira mais dados sobre o relatório na matéria publicada em 24/5/2018.

Fonte: Assessoria

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *