Plataforma digital favorece produção de conhecimento sobre as deficiências

D-Eficiência será apresentada em evento na Universidade Federal de Minas Gerais no dia 20 de junho

Ilustração lúdica de pessoas de diversas idades juntas. À frente, há crianças diversas, sendo uma cadeirante, uma cega e um menino com Síndrome de Down
Compartilhe:

Uma comunidade virtual para familiares, cuidadores e pessoas com deficiência desenvolverem interações diretas e mediadas visando à produção de conhecimento sobre as condições das deficiências, inclusão social e digital e compartilhamento de informações e experiências cotidianas. Assim se define a Plataforma D-Eficiência, que será apresentada na próxima quarta-feira, 20 de junho, a partir das 10h, no Auditório A-102, do Centro de Atividades Didáticas 2 (CAD 2).

“O espaço construído a partir e em torno da plataforma permite uma interação dinâmica e rápida de pessoas com deficiência, cuidadores especializados, familiares, profissionais da saúde e instituições do Brasil e do exterior que lidam com os problemas associados às deficiências”, explica o professor Dimitri Fazito, do Grupo Interdisciplinar de Análise de Redes Sociais (Giars), do Departamento de Sociologia da Fafich, e subcoordenador do projeto.

Além da UFMG, estão envolvidas na plataforma as universidades federais do Pará (UFPA) – onde a coordenação nacional do projeto está sediada – e do Oeste do Pará (Ufopa), Estadual do Maranhão (Uema), USP Ribeirão Preto e Universidade Tecnológica de Dortmund (Alemanha). Cada instituição coordena ações específicas na rede e orienta trabalhos de mestrado e doutorado a ela relacionados.

O projeto é financiado pela Secretaria Nacional de Direitos Humanos, Capes e Ministério da Ciência e Tecnologia. Lançada em 2017, a Plataforma D-Eficiência é projeto piloto desenvolvido para atender a edital da Capes que financia o desenvolvimento de tecnologias assistivas para atender conjuntos mais amplos de pessoas com deficiências.

A participação no evento é gratuita e dá direito a certificado. Para se inscrever, o interessado deve encaminhar seus dados (nome, instituição, e-mail e telefone) para o correio inclusaodeficienciabh@gmail.com.

Redes de apoio

Os professores Dimitri Fazito e Silvio Salej, também do Giars, são subcoordenadores do projeto na UFMG e trabalham com as questões relativas às redes de apoio social às pessoas com deficiência.

“Originalmente, a ideia era focar apenas nas famílias e cuidadores das pessoas com deficiência por lesão medular e mielo, mas as coisas foram mudando e o escopo ampliou-se. Estamos começando a ter acesso a dados e informações de pesquisa sobre as redes sociais e interpessoais, inclusive da rede virtual do D-Eficiência”, explica Fazito.

Segundo ele, a intenção é produzir estudos sobre atividades no âmbito digital desenvolvidas por pessoas com deficiêntes, seus familiares e cuidadores, além de profissionais de saúde e instituições. “Queremos saber como essas pessoas se conectam e usam suas redes para ajudar a resolver problemas relacionados às deficiências”, afirma o professor do Departamento de Sociologia.

Fonte: Universidade Federal de Minas Gerais

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *