Pais pintaram a casa com quadro de Van Gogh para que filho autista não se perca

O casal Nancy Nembhauser e Lubomir Jastrzebski pintaram toda a fachada da casa com a estética da obra ‘A Noite Estrelada’, do pintor holandês

Foto de um casal de meia idade com um jovem ao centro. Eles estão abraçados em frente à casa de dois andares, com traços similares à obra "A Noite Estrelada"
Compartilhe:

A BBC divulgou notícia sobre um casal norte-americano que pintou toda a área externa da casa com a obra “A Noite Estrelada” para auxiliar o filho autista a encontrá-la com mais facilidade. Leia o texto na íntegra:

Um casal da Flórida, nos Estados Unidos, adotou uma solução original para evitar que seu filho autista se perdesse ao voltar para casa. Eles contrataram um artista para pintar toda a fachada do imóvel à semelhança do quadro “A Noite Estrelada”, uma das obras mais famosas do pintor holandês Vincent Van Gogh.

O filho, de 25 anos, tem fascinação por Van Gogh. “Assim, se ele mencionar a casa de Van Gogh, as pessoas podem ajudá-lo a se localizar”, afirmou a mãe Nancy Nemhauser para a agência de notícias Reuters.

Cidade pediu que a pintura fosse removida

A ideia, no entanto, gerou um problema. Em julho deste ano, a Prefeitura de Mount Dora, a cidade da Florida onde fica a casa da família, afirmou que o mural violava o código de sinalização da cidade, podendo distrair os motoristas. Pediram que a pintura fosse apagada e que o casal pagasse uma indenização de US$ 10 mil (em torno de R$ 38 mil).

Confrontada com a decisão, Nancy recorreu e afirmou que a Prefeitura estava violando o direito familiar e o direito de liberdade de expressão. Argumentou que a pintura tinha como objetivo ajudar o filho autista.

Na última terça-feira, o Conselho Municipal de Mount Dora voltou atrás. Decidiu anular a multa, permitir que a pintura fosse mantida e, além disso, pagar uma indenização para a família no valor de US$ 15 mil (cerca de R$ 56 mil). O prefeito da cidade, Nick Girone, ainda pediu desculpas públicas ao casal.

A casa acabou se tornando uma pequena atração turística na cidade, localizada a cerca de 40 quilômetros de Orlando.

Fonte: BBC Brasil

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *