Salto de Pirapora recebe o maior centro de treinamento de cães-guia do País

O Instituto Magnus deve entregar até 60 cães-guia por ano para pessoas com deficiência visual

Foto em plano aberto da fachada do Instituto Magnus, com estruturas em amarelo e preto
Compartilhe:

O maior centro de treinamento de cães-guia do País foi inaugurado em Salto de Pirapora, no interior de São Paulo. O Instituto Magnus proporcionará o treinamento e a formação de 60 cães-guia por ano. Atualmente, há menos de 200 cães aptos para o trabalho.

A  iniciativa contribuirá para diminuir o tempo de espera para o recebimento do animal, além de resgatar a independência e mobilidade dessas pessoas.

Segundo o treinador e instrutor de cães-guia da instituição, George Harrison, o principal desafio após a entrega da nova sede é contar com o trabalho voluntário de famílias socializadoras.

“Temos a missão de engajar cerca de 200 famílias de Sorocaba e região, ao longo dos anos, para que se tornem voluntárias em acolher um cão e tenham a responsabilidade de socializá-lo no primeiro ano de vida. Os interessados podem fazer o cadastro direto no site do Instituto”, afirma.

O processo de treinamento do cão-guia dura cerca de 2 anos. Durante o primeiro ano do filhote, ele fica com os socializadores para que realize tarefas como andar em transporte coletivo, passear em locais públicos, conviver com outros animais e pessoas, entre outras atividades. Após esse período, ele retorna ao Instituto para receber o treinamento específico para se tornar um guia. A fase final acontece com a adaptação do animal ao seu novo companheiro e sua rotina.

Interessados em conhecer a estrutura e um pouco mais do trabalho realizado pelo Instituto Magnus poderão realizar uma visita monitorada. Para fazer o agendamento é necessário entrar em contato através do e-mail contato@institutomagnus.org.|

Estrutura do centro de treinamento

O Instituto Magnus possui uma área de 15 mil m². Sua estrutura conta com canil para 48 cães, clínica veterinária, maternidade canina e sala para banhos.

Há ainda uma área dedicada para as necessidades dos animais, além de espaço para os momentos de diversão e treinamento.

 O espaço possui ainda um hotel para receber os futuros usuários de cães-guia e seus instrutores durante o período de adaptação.

6 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *