Robôs controlados por PCDs servem clientes em café no Japão

Controladores recebem áudio e vídeo e usam computadores ou tablets para orientar os garçons a partir de suas casas

Dois robôs do modelo OriHime-D servindo mesas em um café
Compartilhe:

Robôs garçons controlados remotamente por pessoas com deficiências estão abrindo um mundo de oportunidades em um novo café em Tóquio, no Japão.

O café, que iniciou um período de testes no dia 26 de novembro, utiliza robôs OriHime-D, que são controlados de longe por pessoas que estão presas em casa com condições físicas severas ou com deficiência.

A iniciativa combate o isolamento, além de proporcionar oportunidades de trabalho às pessoas com deficiência (PCDs).

Os robôs garçons tem o tamanho de crianças, com 1,20 metro de altura, e pesam 20 kg.

A Internet é usada para transmitir áudio e imagens de vídeo filmadas pelos robôs aos seus controladores em casa, que podem, então, orientá-los com o uso de computadores ou tablets.

Fonte: G1 – Olha que legal

3 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *