À conquista de Machu Picchu em cadeira de rodas “especial”

O turismo (mais) acessível na altaneira Cidade dos Incas do Peru, incluindo em caminhos “mais complicados”

Foto em plano aberto com três amigos e a cidade dos incas ao fundo. Ao centro, está um homem em
Compartilhe:

Leia abaixo a matéria de Klemens Detering para o portal Público:

Uma agência de viagens, a Wheel the World, desenvolveu uma cadeira de rodas adaptada que permite outros percursos pelo ex-líbris do Peru, Machu Picchu, a cidade dos incas que é uma das maravilhas do mundo, situada a 2400m de altitude.

A empresa, especializada em passeios para pessoas com deficiência, foi fundada por dois amigos chilenos, Álvaro Silberstein – que se desloca em cadeira de rodas –, e Camilo Navarro.

A dupla queria fazer passeios em conjunto, mas nem todos os locais eram acessíveis a Álvaro. Foi assim que tiveram a ideia de criar a agência e começaram a pensar ter cadeiras adaptadas, caso desta, que é “especial”: dobrável, inclui dois varais longos, permitindo que uma ou duas pessoas dêem uma ajuda fulcral à mobilidade. Para financiarem a aquisição, os amigos recorreram ao crowdfunding e tiveram sucesso.

Esta cadeira específica, conta Camilo à CNN, “está desenhada com uma só roda e dois varais longos”, que a fazem parecer um carrinho de mão. É uma mistura de aço e alumínio, como uma bicicleta, portanto é leve. Também há outras cadeiras adaptadas com duas ou três rodas.

A dupla conta que enfrentou vários problemas para conseguir conquistar a montanha peruana: para além dos evidentes, um dos principais foi conseguir reduzir os custos (sempre elevados) relacionados com a viagem dos turistas cadeirantes (do transporte das próprias cadeiras pessoais à segurança extra ou ao alojamento adaptado às necessidades).

Uma viagem a Machu Picchu com a agência custa entre cerca de US$ 1000 a US$ 3000 dólares, com alojamento mas sem voo, podendo ir de um a seis dias. O programa, sempre com guia e apoio adaptado às necessidades de cada um, desde o aeroporto ao hotel e visitas, pode incluir passeios por Cusco, idas ao Vale Sagrado, passeio em bicicleta adaptada ou caiaque, e, claro, visita a Machu Picchu, com ida de comboio e autocarro, percurso turístico e tempo livre para explorar o local.

Navarro adianta que, tanto em Machu Picchu como em muitas outras zonas naturais protegidas, o turismo acessível enfrenta a extrema dificuldade ou mesmo a impossibilidade de construir percursos adaptados nos locais. Mas a dupla diz ver em cada destino não um problema, mas uma necessidade de solução: “A acessibilidade é uma questão de ser criativo.”

Além do Peru, a empresa tem programas no México (Oaxaca) e Chile (aqui há desde trekking no Vale da Lua ou no vulcão Rano Raraku, na ilha da Páscoa, a passeios em Atacama ou no parque natural Torres del Paine).

O turismo acessível é cada vez mais uma aposta de muitas agências de viagens e, no caso do Peru, inclusive por Machu Picchu, há até mais alternativas tradicionais à Wheel the World (podem ser encontradas em Apumayo, Acessible Journeys, Amazing Peru ou Disabled Travel Peru). No site do Conselho peruano para a Integração da Pessoa com Deficiência, Conadis, há mais conselhos e sugestões.

Fonte: Público

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *