Cada pessoa com deficiência auditiva, não tratada, custa à sociedade US$ 9.100 por ano

Segundo o estudo, 7% de todos os adultos convivem com deficiência auditiva, e 2 entre 3 não fazem nenhum tratamento

Em fundo azul, ícone que representa a deficiência auditiva em branco
Compartilhe:

Um novo relatório mostrou que deficiência auditiva não tratada custa para a sociedade  US$ 9.100 por pessoa quando o cidadão não se submete a um tratamento. Segundo o estudo, 7% de todos os adultos convivem com deficiência auditiva, e 2 entre 3 não fazem nenhum tratamento.

Os custos estão relacionados ao baixo nível de qualidade de vida, e ao alto índice de desemprego entre pessoas surdas, sem contar despesas extras causadas pela deficiência auditiva.

Deficiência auditiva é definida pelo grupo de pesquisa Global Burden of Disease (GBD), como uma perda auditiva superior a 35 decibéis (dB) no ouvido melhor.

Os cálculos foram realizados com base no relatório “Hearing Loss – Numbers and Costs” usando dados acerca do número de pessoas com deficiência auditiva, uso de aparelho auditivo, desemprego e qualidade de vida. O relatório é um estudo-meta que tem analisado e comparado centenas de estudos científicos e artigos nas últimas duas décadas sobre a predominância e consequências de deficiência auditiva, uso e benefícios de aparelho auditivo.

O relatório constatou que o uso de aparelho auditivo e outros instrumentos auditivos melhora a saúde e aumenta a qualidade vida. Foi também provado que pessoas com deficiência auditiva, não tratada, encontram-se em grande risco de isolamento social, depressão, declínio cognitivo e demência. Já as pessoas que tratam de sua deficiência auditiva não experimentam um maior risco do que pessoas sem deficiência auditiva.

A maioria das pessoas não trata a deficiência, enquanto menos que uma em três usa aparelho auditivo ou outros instrumentos aditivos. Com o crescimento da população e com o início precoce de deficiência auditiva devido ao aumento de exposição a ruídos, mais pessoas irão conviver com a perda auditiva nos próximos anos.

“O relatório científico demonstrou claramente que deficiência auditiva não tratada é o principal problema de saúde, e que  se não tratada, não tratada tem um grande impacto econômico e social. Foi provado também que vale a pena checar e tratar deficiência auditiva, e isso tanto beneficia o indivíduo como a sociedade em geral”, afirma o Secretário Geral, Kim Ruberg da Hear-it AISBL, o qual publicou o relatório.

“Se você acha que tem deficiência auditiva, eu aconselho que faça um check-up de sua audição. Você pode começar fazendo um teste de sua audição ao usar o aplicativo da Organização Mundial da Saúde (OMS) “Cheque sua audição”, ou teste sua audição online no link www.hear-it.org. No entanto, se você suspeita que tem problema auditivo eu aconselho que procure um audiólogo para fazer um teste de audição com mais precisão, afirma Kim Ruberg.

O Dia Mundial da Audição é realizado pela Organização Mundial da Saúde, sigla em inglês (WHO), a cada ano no dia 3 de março, e tem como objetivo conscientizar as pessoas a prevenir-se de surdez, deficiência auditiva e promover cuidados com o ouvido e audição, no mundo inteiro. O tema para o Dia Mundial de Audição 2019 é “Cheque sua audição”.

O relatório “Hearing Loss – Numbers and Costs”, foi realizado pela Hear-it AISBL e conduzido pela Professora Emérita Bridget Shield, Brunel da Universidade em Londres, e teve como assistente o Professor Mark Atherton, da Universidade Brunel, em Londres. A Professora Bridget Shield organizou o primeiro relato da Hear-it AISBL: “Evaluation of the Social and Economic Costs of hearing Impairment”.

Sobre Hear-it AISBL

Hear-it AISBL é uma organização sem fins lucrativos, localizada em Bruxelas, Bélgica. O objetivo da Hear-it é coletar, processar e fazer circular informações científicas atualizadas, como também outras informações relevantes acerca de deficiência auditiva, e suas consequências para o indivíduo e socioeconômicas, como também as possibilidades e benefícios do tratamento de deficiência auditiva. Os membros da Hear-it AISBL incluem IFHOH (The International Federation of the Hard of Hearing), EFHOH (European Federation of Hard of Hearing People), AEA (European Association of Hearing Aid Professionals), e membros da indústria de aparelho auditivo. Hear-it AISBL é líder mundial de website voltada para audição e deficiência auditiva: www.hear-it.org.
Fonte: Portal Terra

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *