Caminhada no Rio alerta para inclusão de pessoas com síndrome de Down

Objetivo do CaminhaDown é chamar a atenção da população para a necessidade de inclusão social de pessoas com Síndrome de Down e combater o preconceito

Em fundo azul, ícone que representa a deficiência intelectual em branco
Compartilhe:

A 14ª edição do CaminhaDown Zona Sul, em Ipanema, no Rio teve como tema “Uma caminhada para exercitar a consciência”. O objetivo foi chamar a atenção da população para a necessidade de inclusão social das pessoas com Síndrome de Down e, ao mesmo tempo, combater o preconceito.

O evento marca o Dia Internacional da Síndrome de Down, lembrado no último dia 21. Nas proximidades do Posto 8, representantes do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) ouviram demandas das famílias e das pessoas com deficiência. As manifestações serão encaminhadas aos centros de Apoio do MPRJ, para que sejam transformadas em ações e projetos voltados à inclusão. Houve ainda, apresentações judô, pintura e desenho, além de rodas de samba.

A ouvidora-geral do Ministério Público do Rio de Janeiro, procuradora de Justiça Denise Freitas Fabião Guasque, sustentou o compromisso do MPRJ em garantir o direito de cidadania a todas as pessoas. Para ela, o evento de hoje comprovou a importância da informação e da inclusão. “Para nós, é fundamental garantir o direito constitucional ao pertencimento à sociedade, plural e diversa, e o MPRJ quer estar cada vez mais perto da população para garantir esses direitos.”

Fonte: EBC – Agência Brasil

6 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *