Univali oferece curso de Libras

Inscrições já estão abertas; com início das aulas no dia 8, a instituição de ensino catarinense formará turmas nos níveis básico e intermediário

Em fundo roxo, ícone branco com duas mãos gesticulando e representa Libras
Compartilhe:

Estão abertas as inscrições para o curso de Libras da Universidade do Vale do Itajaí (Univali). As aulas ocorrem no Campus Itajaí, a partir do dia 8 de abril, na sala 205 do bloco F5. Serão formadas turmas nos níveis básico e intermediário e as vagas são limitadas.

A iniciativa tem como objetivo difundir a Língua Brasileira de Sinais, a partir da vivência prática e vocabulário básico para comunicação com os surdos. As atividades são ministradas por Charlles Farqueti, professor surdo, fluente em Língua de Sinais, graduado em Letras-Libras, bacharel em Ciências da Computação e especialista em Educação Especial.

O módulo 1  – básico, para quem não tem conhecimento de Libras ou não lembra mais, terá três turmas: quartas-feiras, das 8h às +9h40 e das 20h20 às 22h; e às quintas-feiras, das 14h às 15h40. Já o módulo 2 (intermediário), para quem já tem conhecimento básico, ofertará turmas nas segundas-feiras, das 10h às 11h40, e na quartas-feiras, das 18h20 às 20h.

O curso inicia em abril e segue até julho e as inscrições podem ser feitas no site da Univali. Para estudantes, professores e egressos da Univali o investimento é de R$240,00, com possibilidade de utilizar as Bolsas Funcionário (50%), Professor (50%) e Egresso (25%). Aos demais, o custo é de R$300,00.

Mais informações: (47) 3341-7980, no Serviço de Atenção à Pessoa Surda (SAPS) da Univali.

Fonte: Assessoria

6 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *