Família com irmãos surdos ensina Libras à cachorra

Irmãos têm canal na internet, onde compartilham vídeos que têm como principal objetivo difundir a inclusão. A pug Bela já virou sucesso nas redes sociais

Família com irmãos surdos ensina Libras à cachorra
Compartilhe:

O portal G1 publicou uma reportagem sobre uma cachorra da raça pug que se comunica em Libras com donos surdos. Leia abaixo:

Uma cachorrinha da raça pug aprendeu a reconhecer a Língua Brasileira de Sinais (Libras) em Caxias do Sul, na serra gaúcha, e obedece a comandos dos donos, que são surdos. Os irmãos Tainá e Andrei Borges têm um canal na internet, onde compartilham vídeos com objetivo de difundir a inclusão. A mascote Bela já virou sucesso nas redes sociais.

“Minha nora começou a fazer aqui em casa, num fim de semana, o sinal de sentar. Fez para ela [Bela] uma, duas vezes, e botava a mão na bundinha dela, para ela sentar. Começava a dar em troca meia bolachinha para ela… e ela começou aprendendo um pouquinho. Então o primeiro sinal [que ela aprendeu] foi o de sentar”, conta a mãe de Tainá e Andrei, Aline Cardoso da Silva, que é intérprete de libras.

A Bela está coma família há quatro anos. Eles têm outra pug, a Babi, que está com eles há menos tempo, desde o fim do ano passado. As duas costumam correr para a porta quando alguém chega. Elas também ajudam em outras tarefas.

“Quando eu estou fora e a Tainá precisa acordar para ir a algum lugar, eu sempre lembro ela de deixar o telefone vibrando, mas eu tenho medo… Se o telefone cai, como ela vai acordar? Eu sei que a Bela e a Babi estiverem perto, elas começam a fazer ‘assim’ [arranhando] na cama até ela acordar”, diz Aline.

As cachorrinhas vêm sendo treinadas em casa, aos poucos. E há algum tempo, a Bela mostrou a tem habilidade de reconhecer Libras. Ela demora cerca de dois a três dias para obedecer aos comandos. O preferido dela, segundo Tainá, é o gesto para passear.

Com os vídeos nas redes sociais, a estudante pretende mostrar que não há mistério em aprender Libras. “Eu queria mostrar que o cachorro pode aprender sinais também, já que muitos ouvintes não querem aprender. Como um cachorro pode aprender? Achei legal mostrar isso. E viralizou muito!”, vibra.

Em um dos vídeos postados no canal, eles dão dicas de como ensinar um cachorro em Libras.

O adestrador Rodrigo Lunardi explica que a habilidade de Bela em compreender os sinais faz parte do instinto. Seria o primeiro estágio de um adestramento, e outros cães também podem aprender.

“Os cães são peritos em analisar a nossa expressão corporal. Eles não entendem português. Então, é uma fantasia das pessoas conversar, querer montar uma frase, fazer com que o cão entenda um texto. É muito melhor a gente não falar nada na primeira fase do treinamento e simplesmente direcionar o comportamento do cão com expressões corporais, barreiras, enfim. Tem vários métodos para facilitar a comunicação com o cão”, diz o especialista.

Ele acrescenta que é bom usar petiscos como recompensa. Agora, a família tenta fazer com que a Babi também entenda os sinais.

Fonte: G1

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *