Pessoas com deficiência devem ter acesso a ingressos pela internet, diz CDH

O Projeto de Lei 3.807/2019 quer garantir a venda remota de ingressos para pessoa com deficiência ou com mobilidade reduzida

Foto do senador Flávio Arns sentado falando ao microfone com um notebook na sua frente.
Compartilhe:

A Comissão de Direitos Humanos (CDH) deu parecer favorável ao projeto de lei da senadora Daniella Ribeiro (PP-PB) que garante a venda remota de ingressos para pessoa com deficiência ou com mobilidade reduzida e seu acompanhante. O projeto segue para a Comissão de Educação (CE) que decidirá sobre a proposta em caráter terminativo.

A relatora do PL 3.807/2019, senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP), votou pela aprovação e sugeriu uma emenda de redação. Segundo a justificativa, por vezes a pessoa com deficiência não consegue acessar eventos artísticos em razão da dificuldade de comprar ingressos nas bilheterias físicas. Por isso, disse, a garantia da venda por telefone ou internet é de extrema relevância.

— O projeto elimina algumas das barreiras que invariavelmente afastariam esse segmento populacional de atividades culturais que tanto contribuiriam para seu enriquecimento pessoal e alimentariam seu sentimento de pertença social — analisou.

Mara sugeriu uma emenda para garantir que a pessoa consiga comprar ingressos em cadeiras ou espaços reservados para quem tem deficiência ou mobilidade reduzida, inclusive para seus acompanhantes.

Fonte: Agência Senado

6 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *