Semana da Mobilidade em SP propõe a pessoas sem deficiências vivenciar a mobilidade de um cadeirante

Ação interativa Sentindo na Pele acontece nesta terça-feira (24), a partir das 15h, em frente à sede da Prefeitura de São Paulo

Foto de uma cadeira de rodas parada em cima de uma calçada.
Compartilhe:

A Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência (SMPED) promove, em parceria com a Secretaria de Mobilidade e Transportes (SMT), nesta terça-feira (24), a ação interativa Sentindo na Pele. A atividade tem como objetivo conscientizar a comunidade sem deficiência a importância da acessibilidade e inclusão das pessoas com deficiência no sistema de mobilidade urbana.

Para que os participantes possam vivenciar o que os cadeirantes passam ao se locomover pela cidade haverá uma concentração às 15h em frente à sede da Prefeitura de São Paulo. O trajeto proposto para a experiência conta com saída do Viaduto do Chá, em direção à Rua São Bento e passagem pela Praça do Patriarca e pelo calçadão das ruas Direita, Álvares Penteado e Largo do Café.

“Só na cidade de São Paulo temos hoje em torno de um milhão de pessoas com deficiência. Por isso, não tem como não falar sobre o tema na semana da mobilidade. Hoje podemos dizer que o lugar A é acessível e B também, o problema é como chegar de A até B. A ação vai mostrar as dificuldades vivenciadas por estas pessoas no dia a dia, fazendo com que passem a se preocupar com o tema e entendam mais sobre acessibilidade”, declara Cid Torquato, secretário municipal da Pessoa com Deficiência.

“Fazer alguém se colocar no lugar do outro, sentindo na pele as dificuldades e os desafios pelos quais esse outro passa para se deslocar de um ponto ao outro, é a melhor forma de se conscientizar da importância do respeito às pessoas com deficiência, que também são usuárias do sistema viário”, afirma o secretário municipal de Mobilidade e Transportes, Edson Caram.

A ação faz parte da programação oficial da Semana da Mobilidade 2019, que começou no dia 18 e encerra amanhã, 25 de setembro. É promovida pela Prefeitura de São Paulo, com organização da SMT, por meio da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), da São Paulo Transporte (SPTrans) e pelos departamentos de Transportes Públicos (DTP) e de Operação do Sistema Viário (DSV).

Fonte: Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *