Projeto promove inclusão no carnaval em Santos

Desde 2018, a ala de inclusão da Vila Mathias, em parceria com o projeto ‘Empresto Minhas Pernas’, traz aos desfiles pessoas com deficiência

Foto de um grupo de pessoas fantasiadas, sendo que alguns são cadeirantes e estão sendo conduzidos por outras pessoas
Compartilhe:

Uma das alas da escola de samba Vila Mathias, formada por integrantes com deficiência física, auditiva, visual, intelectual e voluntários, traz um desfile inclusivo para o carnaval santista.

A equipe de jornalismo do G1 conversou com alguns dos carnavalescos que fazem parte do projeto para entender a importância e a mudança que a oportunidade trouxe a cada um deles.

Segundo Élida Julião, educadora física e voluntária do projeto ‘Empresto Minhas Pernas’ – projeto idealizado por Stefan Klaus Lins e Silva – a ala de inclusão começou a fazer parte do desfile da Vila Mathias em 2018, por meio de uma parceria entre a escola e o projeto. O objetivo é garantir atividades de cultura e lazer para pessoas com deficiência e seus familiares.

A cadeirante Thaynara Pereira de Oliveira, de 23 anos, mora em São Vicente, no litoral paulista, e já está contando as horas para vestir seu traje carnavalesco. Ela, que participa do desfile na Passarela Dráusio da Cruz desde 2017, afirma que o carnaval é uma das alegrias de sua vida. “Adoro o carnaval. Esse é o meu terceiro ano participando e fico muito feliz em ter a oportunidade. A primeira vez foi muito legal. Eu fiquei muito emocionada. Agora participo todos os anos e quero continuar”, diz.

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *