Equipe de biblioteca da Estevão de Mendonça ensina Libras em videoaulas semanais

É possível conseguir certificado de 40 horas para dar uma força ao currículo

Foto de um homem, vestindo camiseta preta, com a mão esquerda fechada e erguida para cima. Ao fundo, no canto esquerdo, há a grafia da letra A.
Compartilhe:

Que tal reservar um espacinho na agenda entre o home office e os cuidados com a casa para aprender a Língua Brasileira de Sinais (Libras)? Essa é a proposta do projeto “Momento Libras”, da Biblioteca Estevão de Mendonça.

Aos participantes será emitido certificado de 40 horas. Para solicitar o documento, será necessário interagir nas redes sociais, tirando dúvidas e compartilhando experiências de aprendizado, além de fazer avaliação final. Concluídas as aulas, os vídeos ficarão disponíveis para consulta.

As aulas podem ser acessadas nas redes sociais da biblioteca – Youtube, Facebook e Instagram. A primeira ensina o alfabeto em Libras.

De acordo com o coordenador do projeto, Carlos Santos, toda semana o público poderá acessar um novo vídeo com conteúdo diferente.

Números, verbos e saudações

Além do alfabeto, os participantes aprenderão números, saudações, família, cores, pronomes, verbos, expressões que remetem a piadas ou humor, e até mesmo diálogos com e sem legenda para praticarem o conhecimento.

Carlos explica que ao se pensar na implementação de política das diferenças e discutir acerca dos aspectos da educação inclusiva no âmbito das bibliotecas, o projeto “Momento Libras” visa a capacitação.

Ao final, a equipe da Biblioteca Estadual montará um acervo de vídeos que ficará disponível para consulta e pesquisa no espaço cultural.

Fonte: O Livre

6 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *