Academia de Cinema dos EUA quer promover atores com deficiência

CBS e BBC se comprometeram a aumentar os retratos precisos da diversidade

Foto de um par de mãos segurando uma claquete aberta.
Compartilhe:

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos EUA, que trabalha para diversificar suas fileiras e renovar a premiação do Oscar, volta a atenção para outro grupo sub-representado: atores com deficiência. 

Em parceria com a Ruderman Family Foundation, a organização está os incluindo ao Academy Gold Program, um estágio voltado para jovens atores de minorias. O programa terá 74 participantes.

Hollywood não tem exibido muito a inclusão na tela nos últimos anos. E isso é particularmente evidente durante o Oscar, que frequentemente homenageia atores sem deficiência por interpretarem o papel de uma pessoa com deficiência física ou mental – segundo um estudo da  Ruderman, essa situação acontece em 78% dos casos.

A situação também apresenta uma oportunidade financeira, segundo o mesmo estudo – um aumento na representação poderia ajudar a aproveitar US$ 10,4 bilhões em poder de compra.

CBS e BBC são dois dos únicos estúdios que se comprometeram a aumentar os retratos precisos da diversidade. “Ter mais pessoas com deficiência envolvidas na frente e atrás da câmera oferecerá mais oportunidades, aumentará a representação autêntica na tela e melhor representará o mundo ao nosso redor”, afirmou Jay Ruderman, presidente da fundação, em comunicado.

Fonte: Uol Economia

3 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *