SP realiza “Webinário Internacional Cultura Acessível: boas práticas e novas possibilidades”

Evento gratuito acontece nesta quinta-feira, 6 de agosto, às 17h

pessoa mexendo no celular
Compartilhe:

Acontece nesta quinta-feira, 6 de agosto, às 17h, o “Webinário Internacional Cultura Acessível: boas práticas e novas possibilidades”. A iniciativa é promovida pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SEDPcD) e Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa.

O evento tem como objetivo promover boas práticas e experiências de recursos de acessibilidade e inclusão para melhorar o acesso da pessoa com deficiência à cultura e suas ações.

Contando com o apoio do Memorial da Inclusão e da Escola de Gente, o também serão apresentadas experiências e abordagens internacionais pensando na abertura de oportunidades do ambiente virtual pós-pandemia.

Nesse sentido, com a mediação da Secretária Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Célia Leão, os painelistas tratarão sobre diversas reflexões necessárias e debates relevantes desde cases internacionais, acessibilidade e desafios dentro da temática.

O Webinário contará com a presença do painelista Sérgio Sá Leitão (Secretário de Estado de Cultura e Economia Criativa), Cláudia Werneck (Escola de Gente), Eduardo Saron (Instituto Itaú Cultural), Fabiana Duarte de Paula (Setor de Cultura da UNESCO – Headquarter Paris), representantes da Cooper Rewit Museum (New York) e Smithsonian Institution (Washington D.C).

A transmissão contará com intérprete de libras, legenda em tempo real e tradução para a língua portuguesa.

As inscrições são limitadas e gratuitas. Para o cadastro, mais informações e apresentações dos palestrantes, acesse o link a seguir: http://forms.gle/4RwuafhKQPoKdpCs5.

Com informações de Assessoria de Imprensa.

6 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *